JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

PAULISTÃO 2014: Reforçado, Santos luta para confirmar o favoritismo

Clube fez contratação mais cara, conta com um elenco forte e trouxe Oswaldo de Oliveira

Daniel Batista e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2014 | 05h02

SÃO PAULO - Melhor paulista no Campeonato Brasileiro do ano passado, dono da maior contratação da história do futebol nacional – Leandro Damião – e com Oswaldo de Oliveira, valorizado pela boa campanha pelo Botafogo, no comando, o Santos entra no Paulistão com o peso de confirmar o status de favorito.

A equipe alvinegra quer retomar a hegemonia estadual. Após ser tricampeão em 2010, 2011 e 2012, o Santos viu o título acabar com o Corinthians, impedindo Neymar e companhia de atingir o tetra, marca que nem sequer Pelé e o magnífico time dos anos 1960 conseguiram. Sem o craque, que atualmente desfila o seu talento pelo Barcelona, o Santos aposta em um elenco que fez boa campanha no Brasileirão de 2013 – terminou na sétima colocação – e em um jogador de R$ 42 milhões. Leandro Damião superou Alexandre Pato, adquirido do Milan, da Itália, pelo Corinthians por R$ 40 milhões no começo de 2013, e se tornou a contratação mais cara da história do futebol brasileiro.

A expectativa sobre o atacante é enorme. “Estou tranquilo quanto a ser o jogador mais caro. Qualquer jogador que veste a camisa do Santos sente a pressão e não é o valor do negócio que vai influenciar o meu jogo. Precisa ter tranquilidade para saber que dentro de campo você pode corresponder a todas as expectativas”, afirmou o atacante, que espera recuperar no Santos o bom futebol que o levou à seleção brasileira.

Ajuda não vai faltar para Damião voltar a marcar os gols e comemorar com o tradicional gesto do bigode, em homenagem ao pai. Thiago Ribeiro será o companheiro de ataque, com Cícero e Montillo fechando o quarteto ofensivo. E o Oswaldo de Oliveira ainda terá os garotos da base no banco.

A única preocupação reside no sistema defensivo. A equipe perdeu uma peça importante. Edu Dracena sofreu uma lesão no joelho esquerdo, passou por cirurgia e vai perder todo o Paulistão.

Para conduzir o time, o Santos trocou o inexperiente Claudinei Oliveira pelo tarimbado Oswaldo de Oliveira. O treinador volta à Vila Belmiro depois de nove anos valorizado pelo bom trabalho no Botafogo. Sob o comando do treinador, o Glorioso voltou à Libertadores após 18 anos.

A diretoria acredita que, com o técnico, pode recuperar o futebol ofensivo que sempre caracterizou o Santos. Oswaldo também quer apagar com títulos a primeira passagem pela Vila. Em 2005, ele comandou o time em apenas 16 jogos e foi demitido durante o Paulistão, depois de um empate contra o América.

“Eu quero dar à torcida do Santos algo que não sai da minha cabeça. Eu não costumo fazer promessas, mas desta vez eu prometo muito trabalho e a tentativa de colocar o Santos no topo, que é o lugar que ele merece”, discursou Oswaldo, em sua apresentação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.