Paulistão entra na fase semifinal

Dois clubes tradicionais, situações financeiras opostas e um objetivo marcam o clássico paulista deste domingo. Cerca de 80 mil pessoas devem lotar o Morumbi, às 16 horas, para ver Corinthians e Santos iniciarem a luta para chegar à primeira final do século. O maior adversário das equipes no primeiro confronto das semifinais do Campeonato Paulista é a ansiedade. No mesmo horário, Botafogo e Ponte Preta fazem o duelo do interior, em Ribeirão Preto. O time de Campinas tem a vantagem de jogar por dois resultados iguais e decidir a vaga na decisão estadual em Campinas, no próximo fim de semana.A equipe de Vila Belmiro tenta acabar com um jejum de títulos expressivos de 17 anos. Nesse intervalo, o Santos conquistou a Copa Conmebol e o Torneio Rio-São Paulo, triunfos pouco comemorados pelos torcedores. O time de Parque São Jorge busca a afirmação quase um ano depois de ter sido eliminado da Copa Libertadores da América pelo Palmeiras. Após a derrota para o rival, o Corinthians entrou numa profunda crise, passou quatro meses sem vencer e trocou quatro vezes de técnico. Apesar dos problemas de sempre, como o fraco nível da arbitragem, o fracasso de público na maioria dos jogos e a "pobreza" de boa parte dos times do interior, o Campeonato de Eduardo José Farah promete empolgar o torcedor em sua reta final. Quem vencer entre os dois grandes decidirá o título com a Ponte Preta, que conta com sua fanática torcida para ser campeã pela primeira vez, ou Botafogo, que surpreendeu com uma campanha regular. Para o Santos, chegar à final significa mais do que eliminar o rival. Sofrendo para poder pagar as dívidas do clube, a diretoria reza para ficar com os R$ 4 milhões a que o campeão terá direito ou pelo menos com o R$ 1 milhão destinado ao vice. Em campo, o time leva a vantagem de poder jogar por dois empates. "São dois jogos e, por isso, não podemos nem pensar em administrar essa vantagem no primeiro jogo. Seria um risco", avaliou o técnico Geninho, que aposta na boa fase do goleiro Fábio Costa e do atacante Dodô. O corintiano Wanderley Luxemburgo não demonstra grande preocupação com a pequena vantagem do adversário. "A vaga só será decidida na segunda partida", apostou. "Para a primeira, jogo com dois resultados, a vitória ou o empate." O Corinthians entrará em campo completo, com a exceção de Luizão, que só deve retornar aos gramados no próximo ano. Paulo Nunes, que deverá se submeter a uma artroscopia no joelho direito após o torneio, ficará no banco. Gil e Éwerthon, que vêm tendo grandes atuações, serão mantidos no ataque. No único confronto entre os dois times no Paulista, o Corinthians venceu por 5 a 0. "Aquele jogo já passou, não vamos mais lembrar", disse o colombiano Rincón, que está "escalado" para marcar Marcelinho, seu desafeto desde o tempo em que jogava no Parque São Jorge, em 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.