Paulistão fica de lado no Botafogo

A inclusão do Botafogo na primeira divisão do Campeonato Brasileiro deste ano mudou o ambiente no estádio Santa Cruz. Nesta semana, o Campeonato Paulista, onde o clube faz uma boa campanha, acabou ficando de lado. Todos só falam na competição nacional, embora adotem o discurso de que a prioridade, no momento, é o Paulistão. Mas, quando questionados, os dirigentes e até mesmo a comissão técnica abrem o jogo e falam abertamente dos planos da competição. Até mesmo o técnico Lori Sandri, que tem contrato até o final de junho, já fala que o time precisa de reforços. "É um bom grupo mas precisa de alguns jogadores mais experientes se não quiser ter problemas quanto a rebaixamento. Antes de falar em reforços tenho que saber quanto poderá ser investido", disse o treinador após o treino de hoje. Dívidas em torno de R$ 10 milhões devem atrapalhar o Botafogo na montagem do time para a disputa do Campeonato Brasileiro, marcado para o segundo semestre. Somente para o Banco Axial, antigo parceiro do clube, estima-se que o clube esteja devendo R$ 9 milhões. A diretoria do Botafogo não confirma os valores, mas diz que precisará fazer um bom planejamento para a competição. "Vamos estudar bem antes de contratar. Queremos montar um time para pelo menos ficar na primeira divisão", afirma o presidente Ricardo Ribeiro. Mesmo aparentemente colocado em segundo plano, os jogadores estão trabalhando para o jogo contra a Inter de Limeira, no domingo, em casa. Sem poder contar com o atacante Leandro e o volante Robson Nese, suspensos, o técnico Lori Sandri deve optar por Gauchinho no comando de ataque ao lado de Robert. No meio, Edgard deve ser o escolhido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.