Paulistas definem técnicos para 2005

Três clubes do interior definiram neste início de semana seus técnicos para a disputa do Campeonato Paulista. Os grandes clubes optaram por manter seus treinadores a para o Paulistão 2005, que começa no dia 19 de janeiro.Na segunda-feira, o presidente José Mário Pavan, do União São João de Araras, confirmou Arnaldo Lira na vaga deixada por Roberto Fernandes, agora no Ceará. "Deus às vezes escreve certo por linhas tortas. Acho que a mudança vai ser benéfica para o clube", comentou o dirigente, que negocia a venda do União São João, um dos pioneiros no modelo clube-empresa, para um grupo japonês.Na terça-feira, o União Barbarense surpreendeu ao tirar Roberto Cavalo do Avaí, de Florianópolis. "Meu objetivo é vencer no futebol de São Paulo", justificou o técnico por sua opção profissional. Ele não teve uma boa passagem pelo União São João, rebaixado para a Série C do Brasileiro em 2003. "O momento não era bom para o União. É um motivo a mais para voltar ao futebol paulista", completou.A Internacional de Limeira, um dos clubes que mais investiu até agora em seu elenco, também surpreendeu ao acertar com Alexandre Gama, ex-técnico do Fluminense. O acordo foi anunciado nesta quarta-feira. Na semana passada, o São Caetano trocou Péricles Chamusca por Zetti, ex-Fortaleza, e a Portuguesa renovou suas esperanças com Zé Teodoro, ex-Náutico.Grandes - Os grandes clubes fecharam com os técnicos que terminaram a temporada no Campeonato Brasileiro. Assim foi com o Santos, de Vanderlei Luxemburgo, e o Corinthians, de Tite. O Palmeiras aposta na vontade de Estevam Soares, enquanto o São Paulo mantém Leão no cargo. O Guarani, mesmo rebaixado para a Série B do Brasileiro, optou pela permanência de Jair Picerni. A diretoria da Ponte Preta vai bancar o novato Nenê Santana, que comandou o time em metade do Brasileiro.Os times paulistas que disputaram a Série B também não promoveram mudanças. Assim, o Marília fica com Luís Carlos Martins, um dos "reis do interior", o Ituano segurou Leandro Campos, ainda buscando auto-afirmação, e o Paulista renovou sua aposta no crescimento do ex-meia Vágner Mancini. Até o rebaixado Mogi Mirim renovou com José Carlos Serrão, ex-meia do São Paulo na década de 70.O Santo André, que terminou o ano sob o comando do auxiliar Sérgio Soares, não quis correr risco nesta temporada importante, quando além do Paulistão vai disputar a Copa Libertadores da América e a Série B do Brasileiro. Assim recontratou, pela sétima vez, o experiente Luiz Carlos Ferreira, conhecido como "Rei do Acesso" e responsável pelo planejamento que levou o clube ao seu maior título da história: a Copa do Brasil de 2004.Dos times que disputaram o Brasileiro da Série C, o Atlético Sorocaba continua com Giba Manaes, ex-técnico do Santos, Paulista e Guarani, e a Portuguesa Santista manteve o inexperiente Sérgio Guedes, ex-goleiro revelado pela Ponte Preta e que foi titular do Santos por seis anos. Time de curta temporada, o América de São José do Rio Preto preferiu o certo: trouxe Roberval Davino, do Santa Cruz, uma vez que ele próprio dirigiu a equipe no Paulistão, com boa campanha. O Rio Branco, com dificuldades na formação do elenco, joga suas fichas no conhecimento de Luís Carlos Cruz, um catarinense que já fez sucesso em vários clubes do Nordeste.Confira os técnicos do Paulistão 2005:São Paulo - Émerson LeãoCorinthians - TitePalmeiras - Estevam SoaresSantos - Vanderlei LuxemburgoPortuguesa - Zé TeodoroPortuguesa Santista - Sérgio GuedesSanto André - Luiz Carlos Ferreira São Caetano - ZettiPaulista - Vágner ManciniPonte Preta - Nenê SantanaGuarani - Jair PicerniRio Branco - Luís Carlos CruzUnião Barbarense - Roberto CavaloInternacional - Alexandre GamaUnião São João - Arnaldo LiraMogi Mirim - José Carlos SerrãoItuano - Leandro CamposAtlético Sorocaba - GibaMarília - Luís Carlos MartinsAmérica - Roberval Davino

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.