Osman Orsal/Reuters - 17/12/2009
Osman Orsal/Reuters - 17/12/2009

Paulistas entram 2010 com pressão para conquistar títulos

Para tanto, investem pesado em contratações para a temporada, como Roberto Carlos, no Corinthians

Fabio Hecico, O Estado de S. Paulo

04 de janeiro de 2010 | 11h16

Esperança de boas apresentações e confiança na conquista de títulos. Alegria com as novas aquisições e otimismo com a renovação dos elencos. A temporada começa esta semana para os grandes paulistas e, na mistura de sentimentos, um define bem como será 2010 para Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos: a pressão. Todos entrarão em campo sob cobrança de torcedores e dirigentes e com "obrigação" de ser campeões.

O time em mais evidência será o Corinthians. Tudo pelo fato de viver o ano de seu centenário. Brilhar na temporada em que completa 100 anos não tem sido fácil para gigantes do País. Todos criam enorme expectativas de conquistas e acabam frustrados com fracassos motivados pelo excesso de pressão e cobrança. Mudar essa história é a missão no Parque São Jorge.

Nesta segunda, ao meio-dia, o corintiano dará as boas-vindas ao novo "galáctico" do elenco. Um ano após fazer festa por Ronaldo, agora prometem lotar a Fazendinha para aplaudir o lateral esquerdo Roberto Carlos. O experiente jogador de 36 anos chega com status de grande nome para 2010, mas terá companheiros não menos importantes, casos dos meias Danilo e Tcheco e do atacante Iarley. Todos estarão na reapresentação do elenco, à tarde. A pré-temporada começa na quarta, em Itu.

Com um time de trintões, o Corinthians, campeão paulista e da Copa do Brasil, apostará todas as suas fichas na Libertadores. Em sua oitava participação, a meta é, enfim, erguer o troféu que falta em sua galeria.

Acostumado a ganhar títulos nas últimas temporadas, o São Paulo passou em branco em 2009 e jura não repetir os tropeços em 2010. O time aparece como um dos grandes nomes para adiar o sonho corintiano. Único brasileiro tricampeão da Libertadores, disputa o torneio pela sétima vez seguida e aposta num novo grupo para brilhar.

Além de confirmar a permanência de Washington e Dagoberto, o São Paulo seguiu a estratégia corintiana e buscou atletas com bagagem para triunfar nas Américas. André Luiz, Léo Lima e Marcelinho Paraíba chegam para reforçar a espinha dorsal mantida no Morumbi. Cicinho acredita num acerto e Carlinhos Paraíba ainda aguarda o término de seu contrato com o Coritiba, em março, para também desembarcar no Morumbi. Os jovens Xandão e Fernandinho chegam como opções e devem ganhar espaço no Campeonato Paulista.

Contratado no meio de 2009 para a vaga de Muricy Ramalho, o técnico Ricardo Gomes agora terá tempo para armar o time como gosta e com as peças que mais lhe convém. Os trabalhos começam na quinta-feira.

NOVOS TEMPOS

O Santos soube ontem que perdeu na briga para trazer o uruguaio Loco Abreu para o Botafogo. Mas a renovada diretoria, agora sob o comando do presidente Luiz Álvaro Ribeiro, promete grandes nomes para o ataque. De olho na conquista do Paulista e da Copa do Brasil, a renovação do elenco é semelhante à adotada no Corinthians: começou pela defesa.

Dos quatro contratados, três são zagueiros: Durval, Bruno Rodrigo e Bruno Aguiar. Juntam-se a Edu Dracena, o xerifão do técnico Dorival Júnior. Marquinhos chega para suprir a carência na armação. Souza, Marcel e Giovanni estão próximos de serem anunciados e a lista de dispensa está pronta, com Kléber Pereira e Fabão puxando a fila.

Ainda ressentindo o baque de deixar escapar o título brasileiro e até a vaga da Libertadores, o Palmeiras é quem mais problemas tem para resolver. Vagner Love apanhou de torcedores e manifestou vontade de sair. O meia Diego Souza - o clube converteu sua punição de oito jogos após briga com Domingos, do Santos, em 100 cestas básicas - também virou alvo da ira da torcida, que o chamou de pipoqueiro após o fim da temporada passada. Ambos estão nos planos de Muricy. Resta saber como vão encarar as possíveis vaias.

O presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, apontado pela torcida como um dos grandes vilões nos fracassos de 2009, promete dias melhores. Ele trouxe Léo e Márcio Araújo e garante que o time não fará feio no Estadual e na Copa do Brasil, pouco para quem planejava conquistar a América e o mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.