Paulo Autuori ganha força no São Paulo

Uma semana se passou desde a saída de Emerson Leão e a diretoria do São Paulo ainda não encontrou um substituto. E o presidente Marcelo Portugal Gouvêa parece não ter pressa em definir o novo treinador. "Não tem prazo nenhum. Estamos satisfeitos com o trabalho do Milton Cruz. Se ele vai ser efetivado ou não? Nós ainda vamos procurar alguns outros, se não for possível ficar ele", diz. Mas quem procurar? Essa é a grande dificuldade da diretoria. Por enquanto, só um nome foi consenso: Muricy Ramalho, do Inter-RS. Mas a multa rescisória (R$ 1 milhão) com o clube gaúcho inviabilizou a negociação. O nome de Paulo Autuori, técnico da Seleção Peruana, começou a ganhar força nos corredores do Morumbi por ele ter um estilo rígido, bastante semelhante ao de Emerson Leão, e que agrada bastante o presidente Marcelo Portugal Gouvêa. "Eu desejo um técnico enérgico e disciplinador, porque jogadores de primeira linha precisam de alguém com pulso firme", afirma. As palavras de Gouvêa são suficientes para excluir da lista o nome de Péricles Chamusca, demitido do Goiás. "Não é porque um (técnico) saiu de um time que vai para o São Paulo", avisa.

Agencia Estado,

25 de abril de 2005 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.