Paulo Autuori tenta controlar a euforia

Em meio à comemoração são-paulina, depois da vitória sobre o River Plate por 3 a 2, Paulo Autuori tentou controlar a euforia pela vaga na final da Libertadores. "Vou ser muito rigoroso com os jogadores, quando conversarmos. Não se pode tomar dois gols como tomamos. No primeiro, uma cobrança de falta encontrou o Farías na área e no segundo, o Salas teve espaço para chutar. Poderia ter sido mais fácil, mas erramos. E isso não pode acontecer", disse o técnico do São Paulo, que virou unanimidade entre torcida e dirigentes.O excelente momento no São Paulo não ilude Autuori. "Quando se ganha, tudo é elogio, mas, se perdermos, tudo será contestado. Vida de técnico é assim e eu sabia disso quando escolhi viver assim", explicou.O planejamento tático que o treinador montou para o jogo em Buenos Aires foi muito elogiado por todos na delegação são-paulina. "O River teve apenas aqueles dez minutos no final do primeiro tempo, quando fez um gol e veio para cima. Depois, nos acertamos e dominamos o jogo", revelou o volante Mineiro."Decidi que essa seria a escalação ainda no final do primeiro jogo. A verdade é que o Souza está atuando muito bem e merece jogar", contou Autuori, praticamente adiantando que, no primeiro jogo da final da Libertadores - contra Chivas ou Atlético-PR -, a escalação será mantida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.