Paulo Autuori tenta esconder o jogo

Para Paulo Autuori, do São Paulo, todo cuidado é pouco. Por essa razão, o técnico proibiu a imprensa de fazer imagens da maior parte do treino desta terça-feira à tarde, no CT do clube. A idéia é não dar armas ao treinador e aos jogadores do Palmeiras, que poderiam reconhecer uma jogada ensaiada pela tevê. Durante uma hora, as câmeras tiveram de ficar desligadas."Eu precisava de privacidade com meus jogadores", justificou Autuori. No treino, o técnico deu ênfase às jogadas de bola parada - principalmente para o setor de defesa. "Todos sabemos que o Palmeiras tem ótimas opções na bola parada", comentou o volante Josué, lembrando que, do lado rival, há batedores como Corrêa e Juninho. "Por isso, treinamos bastante para nos prevenir contra esse tipo de jogada."Jogadas de ataque também foram treinadas. Luizão, que teve a escalação colocada em dúvida por causa de um corte profundo no rosto, treinou bem. "Não tem mistério algum. Se não houver problemas, joga o time que vinha jogando", disse Autuori, que chama Luizão de guerreiro. "Ele tem uma história de sempre ir para o pau, de ir para a luta quando é preciso."Pelo regulamento da Libertadores, gol na casa do adversário tem mais peso. Os jogadores do São Paulo sabem disso. E vão tentar surpreender o Palmeiras no Palestra Itália. "Sabemos que um gol é importante, mas não vamos ter uma tática suicida. Vamos jogar de forma equilibrada", disse Autuori.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.