Paulo Campos se dá bem no Catar

Ele não ganha US$ 500 mil por mês nem foi recepcionado com bolo e champanhe no saguão do aeroporto ao desembarcar no Catar. Mas se não é badalado como Romário, que até o momento não fez quase nada no país, Paulo Campos é hoje o brasileiro mais bem sucedido entre os quase 100 que trabalham no futebol local. O treinador acaba de levar o modesto Al-Qadisia ao título da Copa do Catar, primeiro da história do clube, fundado há sete anos por um dos filhos do rei Hamed Al-Thani.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.