Paulo César Caju, um eterno ?bon vivant?

Paulo César Lima, o Caju, desfilou a sua arte ao lado de craques como Pelé, Zagallo, Rivelino, Tostão e Gérson. E escreveu o seu nome na história do futebol brasileiro como um dos maiores craques de todos os tempos. Foi tricampeão mundial pela Seleção Brasileira, em 70; campeão mundial interclubes pelo Grêmio, em 83; e ainda defendeu outros grandes clubes, como Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco e Corinthians.Em quase 20 anos de carreira, o ponta-esquerda acumulou uma pequena fortuna. Chegou a ter 14 apartamentos na zona sul do Rio de Janeiro. Era um bon vivant, um excêntrico. Só andava em carros importados, vestia roupas de grife, freqüentava as melhores casas noturnas do Rio de Janeiro. Era amigo particular de figuras como Carlinhos Niemayer, Mariozinho de Oliveira e outros intelectuais remanescentes do chamado Clube dos Cafajestes.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.