Kimimasa Mayama/EFE - 13/12/2011
Kimimasa Mayama/EFE - 13/12/2011

Paulo Henrique Ganso dá 10 dias ao Santos para cobrir oferta do grupo DIS

Investidores e clube possuem 45%; já 10% restantes ainda são de propriedade do atleta

ESPN.com.br

22 de dezembro de 2011 | 10h05

SÃO PAULO - Após confirmar e depois desmentir a venda de 10% dos seus direitos econômicos a DIS, braço esportivo do grupo Sondas, o meia Paulo Henrique Ganso enviou uma notificação a diretoria do Santos, nesta quarta-feira, sobre o assunto. No ofício, o jogador declara ter aceitado a proposta dos investidores, mas dá ao time da Vila Belmiro o direito de cobrir a oferta da DIS nos próximos 10 dias.

A proposta do grupo Sondas é a mesma revelada por Ganso durante a disputa do Mundial de Clubes, no Japão. A empresa aceitou pagar R$ 5 milhões pelo porcentual dos direitos do jogador, o que pode colocar a DIS em vantagem na divisão dos direitos econômicos do maestro santista.

Atualmente, os investidores e a cúpula alvinegra possuem 45% cada, com os 10% restantes ainda sendo de propriedade do atleta.

Agora, para evitar um desgaste maior e até mesmo um imbróglio judicial - o time da Vila Belmiro chegou a dizer que pretendia ir até as últimas instâncias para impedir a negociação -, Paulo Henrique Ganso espera para saber se a direção do clube irá ou não cobrir a oferta apresentada pela DIS.

Independentemente de quem irá ficar com os 10% que pertencem a Ganso, na nova divisão dos direitos econômicos do meia, a renovação contratual do jogador realmente só deve ter prosseguimento em janeiro do próximo ano.

O Santos deve oferecer nada menos do que R$ 650 mil mensais, um salário cinco vezes maior do que o atual (R$ 130 mil), para convencer Ganso a renovar o seu vínculo com o clube.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosGansoDIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.