Paulo Henrique Lima teme concorrência por vaga no Santos

Meia diz que equipe tem grandes jogadores na posição e confessa que depende do esquema do treinador

Sanches Filho, Agencia Estado

16 de março de 2009 | 19h34

Paulo Henrique Lima começa a ganhar espaço ao mesmo tempo em que Neymar surge como nova sensação do Santos. É outra coincidência com os garotos da geração de 2002, com a ascensão de Diego e Robinho quase ao mesmo tempo. Aos 19 anos, o meia não conseguiu, no ano passado, convencer Emerson Leão e seu sucessor Cuca que tem futebol para jogar no time principal do Santos.

Veja também:

linkNeymar já sonha com duelo com Ronaldo no domingo

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Mas, com a chegada de Vágner Mancini, ele sente que a sua vida profissional pode mudar radicalmente. "A concorrência vai ser extremamente difícil porque o Santos tem grandes jogadores para as meias. Tenho que competir com Molina, Madson, Lúcio Flávio e Bolaños e ainda dependo do esquema que Mancini pretende adotar", reconheceu o meia, cuja cotação subiu após ter feito dois gols em dois jogos.

"E o primeiro, contra o Guarani, o meu aproveitamento foi bom porque atuei poucos minutos. Diante do Mogi consegui fazer o que o técnico me pediu e espero que isso me ajude a ser mantido no time", afirmou o meia.

O que poderá fazer com que Mancini opte por sua escalação é o seu bom entendimento com Neymar desde 2005, quando começaram a jogar juntos na base. Ao falar sobre o companheiro, não economiza elogios. "Neymar é um craque. Um garoto humilde e que sempre procura ouvir conselhos dos mais velhos. Até de mim que tenho só dois anos mais do que ele", afirmou. "Por coincidência, nós dois estamos tendo um começo de ano muito bom. A diferença é que tenho dois gols e ele só um no profissional", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.