JF Diório/Estadão<br>
JF Diório/Estadão<br>

Paulo Nobre promete mudanças no Palmeiras depois de goleada

Presidente fala em reforços de clubes que disputam a Série B para o técnico Dorival Junior e reitera que a equipe não será rebaixada

O Estado de S. Paulo

23 Setembro 2014 | 21h32

O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, garante que o clube está em processo de intensas mudanças depois da goleada sofrida por 6 a 0 para o Goiás, no último domingo. Em entrevista nesta terça-feira à Rádio Bandeirantes, o dirigente promete reforços, avisa que irá diminuir o elenco e ainda afirma que a equipe não será rebaixada à Série B do Brasileiro. Confira os principais trechos da entrevista:

MUDANÇAS NO PALMEIRAS

"Estamos com a ideia de contratar alguns jogadores. Podemos contratar jogadores da Série B que podem suprir necessidades que o elenco tem. Vamos enxugar um pouco o elenco. É uma coisa que estávamos estudando. Se tem um grande responsável pela crise, a gente tem que avaliar que é um erro coletivo, mas o principal de todos sou eu, o presidente do clube."

WESLEY

"Se o Wesley joga ou não no Palmeiras depende do técnico Dorival Junior. O jogador se recupera de lesão, está a disposição do elenco e afirma textualmente que não assinou contrato com ninguém. O palmeiras está tentando renovar o contrato do Wesley (termina em fevereiro). Já chegamos a um acordo e o contrato está pronto, só falta assinar".

GOLEIROS

"É uma questão técnica. Vou falar como torcedor, até porque não sou goleiro. Quando era vice-presidente, lembro que tinha o Diego Cavalieri e o Marcos e na época falavam que o melhor era o terceiro goleiro, o Bruno. Ele é ótimo, foi campeão da Copa do Brasil e infelizmente teve falhas. O Fábio é um ótimo goleiro, faz defesas impossíveis, mas teoricamente levou gols fáceis e sofreu muita pressão. A comissão técnica optou pelo Deola, por ser um goleiro mais experiente. O Fernando Prass já está treinando com bola e em mais um poucos jogos já estará à disposição do técnico."

RELAÇÃO COM A WTORRE

"É publico o problema entre Palmeiras e WTorre, está na câmara de arbitragem (da Fundação Getúlio Bargas). Falo pouco disso por orientação do nosso departamento jurídico. A arena ficara pronta e é de interesse que termine logo. Pretendo ir, inclusive, no evento-teste, no próximo sábado. Temos orientações internas do jurídico sobre alguns fatos e evito falar disso. Mas o contrato foi assinado em 2010 não é exatamente o combinado em 2008. Votei a favor do projeto do estádio quando era conselheiro."

ELEIÇÃO

"Nesse momento complicado que o Palmeiras vive, não penso nessa disputa. O Palmeiras precisa muito mais de um presidente do que de um candidato. A eleição será imprevisível, porque vai contar com a votação de todos os sócios."

AVALIZAÇÃO DE DINHEIRO PRÓPRIO

"O valor é alto, significativo, não falo de números. Escuta-se falar muito na mídia e não esta fora disso. Se eu não tivesse feito isso, o Palmeiras continuaria, é claro, mas se fosse levantado o dinheiro em banco, o valor seria impagável. Nenhum banco ia  dar esse dinheiro em curto prazo. O Palmeiras comprometeu no máximo 10% das suas receitas. A devolução será entre dez e 15 anos. Era um compromisso meu de campanha não colocar dinheiro próprio do clube, mas não havia alternativa. Em breve o Palmeiras vai poder andar com as próprias pernas. Fiz de uma maneira que o Palmeiras não fique dependente de ninguém. O clube vai comprometer 10% das suas receitas anuais para me retornar esse dinheiro corrigidos pelo CDI."

TERCEIRO REBAIXAMENTO

"Eu estou presidente, mas sou torcedor e como torcedor, estou muito triste. Como presidente tenho a obrigação de ser o último a se desesperar ou não me desesperar. Tenho que ser confiante. O campeonato está equilibrado, teremos vários confrontos diretos e com o apoio da torcida, que está sendo exemplar, tenho a certeza absoluta que o Palmeiras vai sair dessa situação. O grupo pode mais, é capaz de tirar o Palmeiras dessa situação. Temos que levar muito a sério cada jogo daqui para frente. Tenho certeza que vamos reagir. Estou seguro do trabalho que estamos fazendo. A Sociedade Esportiva Palmeiras não pode estar na segunda divisão e não estará."

VALDIVIA

"Gostaria de administrar grandes atuações deles e não problemas. É um grande jogador, perdeu a cabeça de uma maneira boba (contra o Flamengo), não agrediu e por coisa boba prejudicou o Palmeiras. É inegável quando ele está em campo é outro time. Tenho certeza que vai nos ajudar muito. Quando assumi, o jogador era do elenco e tento valorizá-lo da melhor maneira possível."

ELENCO DA SÉRIE B DE 2013

"Afirmar que o time que ganhou a Série B estaria mais bem colocado que o atual elenco é um chute, uma estimativa. Não dá para voltar no tempo."

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras futebol paulo Nobre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.