Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Paysandu e Coritiba empatam sem gols

Paysandu e Coritiba fizeram jogo ruim neste sábado, no Mangueirão, e empataram sem gols, em partida válida pela 39ª rodada do Campeonato Brasileiro. A torcida do Paysandu premiou seu time com uma estrondosa vaia no final da partida, chamando o treinador Adilson Batista de "burro".O primeiro tempo foi muito fraco. Os dois times abusavam de jogadas para o lado e chutões para a frente. O volante Alexandre foi o pior entre os piores em campo.Apenas em dois momentos se viu alguma coisa de futebol: aos 10, com Zé Augusto, que costurou bem uma jogada sobre a zaga do Coritiba, mas o volante Alexandre salvou quando o gol parecia certo. Aos 30, o zagueiro Alex Pinho cabeceou para o gol vazio, mas Jucemar tirou em cima da linha, mandando para escanteio.O treinador Adilson Batista fez no começo da etapa final duas substituições que mexeram com os nervos da torcida. Tirou o volante Sandro, que era o melhor no apagado meio campo do Papão, para colocar Leonardo. E emendou com outra lambança: substituiu Borges por Vinícius, que não disse a que veio.O Coritiba, conformado com a própria mediocridade do jogo, resolveu arriscar: colocou sua dupla de ataque Tuta e Aristizábal , tirando Alexandre e Alemão. O jogo continuou ruim. Ninguém queria saber de atacar. E quando atacava, a bola mal chegava na área adversária.Um susto aos 24 para a torcida do Paysandu; Tuta bateu dois zagueiros e chutou para o gol com Paulo Musse vendido. A bola bateu na trave e Bebeto Campos aliviou com um chutão para a lateral. A bola parecia respirar aliviada quando o juiz apitou o final da partida.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2004 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.