Paysandu e Flu: empate com seis gols

O Paysandu teve a vitória nas mãos, deixou o Fluminense virar o marcador e quase perdeu nesta quinta-feira à noite, em Belém, graças a um erro de seu técnico, Artur Neto, que tirou dois atacantes quando o time ainda vencia. No final, o empate por 3 a 3 deixou um gosto de vitória para o time paraense. Selmir, com dois gols, e Rogério Souza marcaram para o Paysandu, enquanto Romário e Ramón, por duas vezes, anotaram para os cariocas. No primeiro tempo, o Paysandu foi melhor em campo, apesar dos cochilos de sua defesa. O Fluminense, no esquema 3-5-2, sentia dificuldades para sair ao contra-ataque. O primeiro gol da partida saiu aos 8 minutos: Selmir concluiu jogada de BebetoCampos e fez 1 a 0 para o Paysandu. Mal deu tempo de comemorar. Romário, aos 9, recebeu de Ramón e tocou na saída dePaulo Musse: 1 a 1. Os paraenses voltaram a marcar aos 29. Jobson cobrou escanteio, Zé Augusto fez o corta-luz e, Selmir, novamente, comoportunismo, mandou para o fundo das redes: Paysandu 2 a 1. Aos 44, Rogério Belém sofreu pênalti, mas o juiz deixou de marcar e ainda deu cartão amarelo para o jogador. O técnico Artur Neto resolveu inovar e, sem ninguém entender, mexeu no ataque do Paysandu, no segundo tempo, tirando Zé Augusto para reforçar o meio-de-campo com Alexandre. O Fluminense também mudou, mas para melhor.Alex entrou no lugar de Antonio Carlos. Aos 27, Ramón, de perna esquerda, empatou a partida. Aos 39, Romário tocou para Ramón e, novamente, balançou as redes do Paysandu: 3 a 2. No desespero, os paraenses foram para cima do Fluminense, até que Jobson foi derrubado por Odivan. Pênalti convertido por Rogério Souza: 3 a 3.

Agencia Estado,

22 de abril de 2004 | 22h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.