Paysandu lamenta pontos perdidos

A irresponsabilidade do presidente do Paysandu, Arthur Tourinho, que fez o clube perder oito pontos, ao assinar contrato de três jogadores quando estava suspenso pelo STJD, continua custando caro ao time paraense, que voltou a frequentar a temida zona de rebaixamento na Série A, na qual ultimamente vem se arrastando para tentar fugir. Com 48 pontos, na 20ª colocação e com apenas dois pontos de vantagem dos três últimos colocados, Ponte Preta, Bahia e Grêmio, o Paysandu depende dele mesmo para continuar na elite do futebol brasileiro. No mínimo um empate no próximo domingo em Campinas, contra o Guarani, e uma vitória em Belém, contra o Atlético-PR serão suficientes para o clube não ser alcançado no confronto direto, mesmo que Ponte Preta, Bahia e Grêmio também vençam seus adversários. O grande trunfo do Paysandu nesta reta final são as 15 vitórias que possui, contra 12 de Bahia e Grêmio, e 10 da Ponte Preta. O treinador Ivo Wortmann não esconde a angústia que a perda desses oito pontos vem causando entre os jogadores e na fanática torcida do Paysandu. "Poderíamos hoje estar lutando por uma vaga na Copa Sul-Americana, e não para fugir do rebaixamento." Ivo afirma que o clube perdeu esses pontos não por negligência ou incapacidade, mas por problemas extracampo que ele diz "não aceitar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.