Paysandu tenta fugir da lanterna

Como se não bastasse o fantasma do rebaixamento, que vem assombrando o clube há sete rodadas, o Paysandu enfrenta neste sábado o Figueirense, em Florianópolis (SC), sem alguns de seus principais jogadores, contundidos ou suspensos por cartões amarelos. O setor de meio-campo é o mais desfalcado. Os meias Lecheva, Rogério Belém e Jobson devem fazer muita falta no esquema de criação do time. No ataque, a ausência do artilheiro Selmir, também contundido, é outra preocupação para o técnico Givanildo Oliveira. A novidade será a estréia do meia-atacante Leonardo, ex-Sport. Com tantos problemas, Givanildo resolveu mais uma vez mexer no esquema tático, que não deverá ser mais o 4-4-2 e sim o 3-5-2. O treinador entende que os jogadores precisam se superar em campo para sair de Florianópolis com um bom resultado. No meio da semana, revoltados com o desempenho do time, que está na lanterna da Série A com apenas dois pontos, torcedores foram a Curuzu e, durante o treinamento, atiraram galinhas e pipocas para dentro do gramado, hostilizando os jogadores. Givanildo bateu boca com os torcedores e proibiu, a partir de agora, a presença de público durante os treinos. "Temos de ter tranquilidade para trabalhar e superar a má fase", justificou o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.