PC Gusmão aceita convite para dirigir o Corinthians

O técnico do Cruzeiro, Paulo César Gusmão, aceitou o convite para dirigir o Corinthians, a princípio, até o fim do ano e já está apalavrado com o presidente do clube, Alberto Dualib. Sua contratação foi o assunto mais falado nos vestiários do Pacaembu, após a vitória do Corinthians sobre o Tigres, pela Copa Libertadores, por 1 a 0.O problema para o anúncio do substituto de Antônio Lopes é que ainda falta um encontro entre Dualib e Kia Joorabchian, presidente da MSI, para definir as bases do contrato.PC Gusmão foi procurado pelo Corinthians desde o fim de semana. E com o consentimento da MSI, apesar de Kia desmentir. ?Hoje não temos um técnico, no momento em que a diretoria se reunir e chegar a uma solução, vamos anunciar?, afirmou Kia, no vestiário do Pacaembu, irritado por Dualib, seu desafeto, ter feito o acordo.PC Gusmão é sonho antigo do Corinthians. Em 2005, quando Tite estava para deixar o clube, ele foi procurado. Naquele momento, porém, não chegou a um acordo e Daniel Passarela acabou contratado.?O Kia me disse que serei o técnico até o clássico de domingo?, disse Ademar Braga, já em tom de despedida. Indagado sobre PC Gusmão, chegou a brincar. ?Que bom, um discípulo do Luxemburgo (Vanderlei, atualmente do Santos).?Kia repetiu, por várias vezes no Pacaembu, que o anúncio do técnico seria em parceria. Não admite ser passado para trás por Dualib como no caso Marcelinho. ?Nossa lista tem muitos nomes e estamos trabalhando?, despistou, dizendo não ter ?acordo com Paulo Autuori, Paulo César ou S, ou Z.?Mas quando Kia afirmou que Ademar seria o treinador no domingo, tinha um bom motivo para isso. PC disse ser questão de honra levar o Cruzeiro ao título mineiro. Como o Corinthians está necessitando com urgência de um comandante, ele teria de vir para São Paulo antes de a decisão do Estadual acontecer. Por isso, fará sua despedida no domingo, no clássico das semifinais contra o Atlético, no Mineirão. O primeiro jogo terminou empatado por 2 a 2. O Cruzeiro joga por novo empate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.