Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

'Peço desculpas para a torcida', diz zagueiro Henrique após queda na Libertadores

Corinthians foi eliminado pelo Colo-Colo na arena, mesmo vencendo por 2 a 1

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2018 | 00h29

O zagueiro Henrique pediu desculpas para a torcida corintiana pela eliminação na Libertadores. O Corinthians venceu o Colo-Colo por 2 a 1 nesta quarta-feira, devolveu a derrota que havia sofrido no Chile (1 a 0), mas foi eliminado nas oitavas de final por ter permitido um gol do rival em casa. O time de Osmar Loss ficou a um gol da vaga. 

“A gente demonstrou dentro de campo o que pode fazer. Nós temos de pedir desculpas para a torcida. Ainda temos muita coisa para fazer na Copa do Brasil, estamos nas semifinais, e ainda faltam muitos jogos no Brasileirão”, disse o zagueiro. 

Para o goleiro Cássio, o fato de o Corinthians ter levado um gol em casa foi decisivo para que o time fosse eliminado pelo Colo-Colo. “Um jogo de mata-mata é decidido em alguns lances, alguns detalhes. Levar um gol em casa acabou decidindo a vaga”, disse o goleiro. “Nós fizemos um bom jogo, pressionamos, criamos boas chances, mas acabou faltando um gol”, lamentou no final da partida. 

Para o meia Jadson, autor do gol de pênalti, logo no início do jogo, abrindo a esperança de que a virada seria possível, o Corinthians fez uma boa partida, mas encontrou um rival experiente. “Eles vieram fechados, são jogadores experientes, que souberam explorar a vantagem que eles tinham no placar. É um grande time, mas nós jogamos bem. Poderíamos ter feito o gol que faltava para nossa classificação”, disse Jadson. 

Com a queda na Libertadores, o Corinthians ainda tem dois torneios para disputar. Sábado, o time enfrenta o Atlético-PR, novamente na Arena, pelo Campeonato Brasileiro. O desafio é tirar a diferença para o líder São Paulo (45 a 29). No momento, o time tem de se aproximar da zona de classificação à Libertadores. Na Copa do Brasil, o Corinthians é semifinalista e disputa uma vaga na final com o Flamengo a partir do dia 12 de setembro. “Estamos vivos nas duas”, diz Roger. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.