Albert Gea/REUTERS
Albert Gea/REUTERS

Saiba quem é Pedri, um garoto de 17 anos apontado como nova sensação do Barcelona

Jogador conquistou os torcedores espanhóis com seu jeito calmo, passes perfeitos e dribles rápidos, apesar da pouca idade

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 16h04

As atenções não estarão voltadas apenas para Lionel Messi nesta quarta-feira, na partida do Barcelona contra o Dínamo de Kiev, pela Liga dos Campeões, no Camp Nou. O garoto Pedri, de 17 anos, é a nova sensação do Barça. Suas últimas atuações pela equipe catalã têm deixado os torcedores empolgadíssimos. Apesar da idade, chama atenção a sua autoconfiança diante de atletas mais experientes, seu jeito calmo com a bola quando está sob pressão e maturidade para tomar as decisões corretas em campo.

Pedri é, no momento, o jogador da nova safra do Barcelona que mais tem encantando os torcedores. A lista de novos talentos do clube tem nomes como Ronald Araujo, De Jong, Riqui Puig, Ansu Fati e Francisco Trincão.

Contra a Juventus, na última rodada da Liga dos Campeões, por exemplo, ele conduziu o jogo do Barça com passes rápidos e dribles confiantes. “Com a sua idade, o que ele fez foi excelente”, disse o técnico do Barça, Ronald Koeman. “O fato de ele ser capaz de mostrar habilidade e caráter com essa idade me deixa muito feliz. Ele vai ser um grande jogador para o Barcelona.”

Diante da campeã italiana, por exemplo, ele teve 95% de aproveitamento dos passes, sendo que mais de 75% foram feitos no campo adversário. Outra qualidade é como ele também contribui com o trabalho defensivo, recuperando a posse de bola. Pedri define que seu estilo de jogo é de quem gosta de estar “em constante contato com a bola”. O garoto, no entanto, reconhece que ainda precisa melhorar a pontaria nos chutes a gol. 

Aprimorar o aspecto físico e ganhar massa muscular é outro aspecto importante, mas sem pressa porque, aos 17 anos, o seu corpo ainda está em desenvolvimento. Por isso, ele está sendo submetido a uma carga específica de exercícios físicos. “Prefiro ter cabeça e pensar um segundo antes do adversário do que ter músculos”, disse em recente entrevista ao jornal catalão Sport.

No Barcelona, comparam a situação de Pedri à de Philippe Coutinho. O brasileiro, depois de passar uma temporada emprestado ao Bayern de Munique, voltou mais forte ao Barça.

Graças à ótima fase, não faltam elogios a Pedri na mídia espanhola. “Nasce uma estrela”, publicou o jornal espanhol Marca, acrescentando: “Em Turim, todos se perguntavam quem era este jovem de aparência frágil e desajeitada que se transformou em um gigante no estádio Allianz.”

A história de Pedri é curiosa. Seu nome é Pedro González, mas no futebol é conhecido por Pedri. Nasceu em Tegueste, uma cidade com cerca de 11 mil habitantes em Tenerife, em 25 de novembro de 2002. Ele fez testes no Real Madrid aos 15 anos, mas foi rejeitado. “No primeiro dia de testes, estava nevando e fazia muito frio. No segundo dia eles estavam limpando a neve e não pude treinar. Tive a má, ou boa, sorte de eles não me pegarem porque acabei indo para o Barcelona, o clube que sempre quis”, contou o garoto.

Seus primeiros passos no futebol foram em um clube amador de Tegueste. Ele chegou a fazer testes no Tenerife, mas acabou dispensado por ser muito baixo e fraco. O menino, então, foi para o Juventud Laguna, onde ficou entre os 12 e os 15 anos até ir para o Las Palmas. Logo foi promovido para o time principal, com apenas 16 anos, e chamou a atenção do Barcelona, que o comprou por pouco mais de 5 milhões de euros (R$ 35 milhões) em setembro de 2019. Ele, no entanto, continuou no Las Palmas e só se apresentou ao Barcelona este ano.

Seu sonho é seguir os passos de Andrés Iniesta, meio-campista multicampeão pelo Barcelona e a seleção espanhola, considerado por muitos um dos jogadores mais habilidosos da história. “Pedri chegou como uma figura praticamente desconhecida para a maioria dos torcedores do Barça, mas deixou uma impressão imediata por sua leitura tática das partidas”, escreveu o jornal AS ao elogiar as características, justamente as mesmas pelas quais Iniesta se notabilizou.

Tantos elogios, inclusive, preocupam o técnico do Barcelona por não saber como um garoto tão novo poderá reagir. “O que vimos na imprensa é normal, porque com 17 anos, fazendo tudo o que ele fez, é lógico que falem sobre isso. Pedri é muito humilde e com os pés no chão. Se não colocar (os pés nos chão), nós colocaremos.”

Menor de idade, sem carteira de motorista, rodou a Espanha a cena de Pedri deixando o Camp Nou de taxi, após partida contra o Ferencvaros. Agora, as imagens que têm chamado atenção não são mais as do garoto no carro, mas sim dele desfilando talento no meio de campo do Barcelona.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.