Pedrinho abre mão do salário no Palmeiras

Chateado por estar fora do time do Palmeiras há mais de três semanas, devido a uma contusão na coxa, Pedrinho solicitou ao presidente Mustafá Contursi a suspensão do pagamento de seu salário até que volte a jogar. Mas o dirigente não aceitou. A medida, segundo o meia, foi tomada em respeito à torcida e ao próprio dirigente.Pedrinho afirmou que está se sentindo de ?mãos atadas? diante da impossibilidade de entrar em campo e prometeu dobrar o empenho nos treinos para se recuperar o mais rápido possível. "O Mustafá não aceitou minha proposta. Disse que vai continuar depositando meu salário integralmente. Acho que agiu assim por saber da minha integridade, da minha seriedade. Estou triste porque o departamento médico do Palmeiras garantiu que eu voltaria a jogar em uma semana. Não era nada grave. Mas, passados os sete dias iniciais, fui para campo e senti dores na coxa ao bater na bola. Foi necessária uma nova ressonância magnética para comprovar que o local ainda estava inflamado. Agora, não sou capaz de afirmar quando voltarei", contou.O médico do Palmeiras, Vinícius Martins, explicou o caso. "Realmente, prevíamos que o Pedrinho seria liberado em uma semana. Mas apesar de realizar o tratamento médico, ele não se recuperou tão rapidamente e teve de ficar mais uma semana com a gente. Mas já está liberado para trabalhos físicos", revelou.O jogador lamenta ficar fora em um momento que estava reencontrando o prazer de jogar. "Calei a boca dos críticos com minhas últimas atuações, quando marquei gols e contribuí decisivamente para que o time conseguisse bons resultados. Muita gente não respeita o meu passado. Mas percebo diariamente que nasci para superar obstáculos. Tenho recebido cada vez mais apoio de pessoas que se identificam comigo", afirmou Pedrinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.