Pedrinho comemora boa atuação e nega problemas com Luxa

Jogador voltou ao time na vitória sobre o Goiás por 3 a 0, depois de um período de geladeira

Sanches Filho, do Estadão,

28 de outubro de 2007 | 13h59

A festa foi dos reservas Pedrinho e Marcos Aurélio na vitória do Santos por 3 a 0, contra o Goiás, na noite deste sábado, na Vila Belmiro. Foi a resposta dos dois jogadores que estavam afastados por Vanderlei Luxemburgo até o coletivo de quinta-feira, por "queda de produção".  Veja também: Crônica do jogo: Santos 3 x 0 Goiás "Vanderlei Luxemburgo sempre me ajudou e não é verdade que brigamos. Sou um jogador calado e que respeita as decisões do técnico e por isso acharam que eu estava chateado", explicou Pedrinho, que tirou o time do sufoco no segundo tempo, com um gol e uma grande atuação. "Ele me pediu para jogar aberto pela esquerda, porque o Goiás estava marcando bem pelo meio. E, como sempre, procurei jogar bem, que é a melhor maneira de eu mostrar a minha gratidão ao Vanderlei e ao Santos", acrescentou o jogador, que do banco viu um Santos sonolento empatar por 0 a 0 com Goiás no primeiro tempo. E com menos de dois minutos em campo, Pedrinho mudou a história do jogo, com uma jogada com Kleber pela esquerda. O lateral errou o último passe, mesmo assim Pedrinho chutou cruzado, de pé esquerdo e fez 1 a 0. Um gol chorado, com a bola batendo na trave esquerda de Harlei antes de entrar, sem força para chegar às redes. Pedrinho não se limitou a ser um ponta-esquerda, como sugeriu a sua declaração. Foi o jogador veloz e de muita movimentação que Petkovic não conseguiu ser na primeira etapa. Incendiou o jogo, dando a volta por cima, depois do afastamento mal explicado, desde os 13 minutos em que esteve em campo contra o Palmeiras. No final do primeiro tempo, os jogadores santistas saíram de campo irritados com o suposto erro do árbitro Wilson Souza de Mendonça. Aos 19 minutos, num cruzamento para a área, a bola bateu no pé direito de Henrique, subiu e bateu na mão do zagueiro. "A bola ia chegar limpinha para eu concluir, mas com o toque mudou de direção", lamentou o meia Rodrigo Tabata, que também não gostou do futebol do seu time, errando passes e mostrando precipitação nas finalizações, na etapa inicial. Para o jogo fora de casa contra o Náutico, na próxima rodada, Luxemburgo terá a volta dos laterais Baiano (cumpriu o último dos três jogos de suspensão) e Alessandro (não pôde jogar contra o Goiás porque recebeu o terceiro amarelo diante do Figueirense), mas deve ficar sem Adoniram. O volante, que vinha substituindo Maldonado, sofreu uma lesão no púbis e, de acordo com a avaliação inicial, deve ficar durante uma semana em tratamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCPedrinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.