Pedrinho é a arma para o 2.º tempo

O Palmeiras está há cinco jogos invicto, assumiu a liderança do Grupo 4 da Copa Libertadores e, no Campeonato Paulista, vem de vitória por 3 a 1 sobre o Santos. A boa fase, o técnico Candinho credita principalmente ao fato de ter podido repetir o time titular e dar estabilidade para os jogadores recuperarem a confiança.Neste domingo, contra a Portuguesa, mantém a escalação que iniciou o jogo contra o Deportivo Táchira, na quinta. Apesar de feliz por isso, o treinador não esconde que deseja ter, em breve, o meia Pedrinho entre seus titulares. Enquanto não pode, usará de novo o "Reizinho do Parque" como grande arma para o segundo tempo, como fez nos últimos dois jogos da equipe."O Pedrinho ainda não tem gás para 90 minutos", diz Candinho, referindo-se ao fato de o meia recuperar-se de contusão. "Quero ver o Pedrinho jogar um jogo inteiro, mas temos que ir devagar com ele." O desejo de Candinho, por sinal, é compartilhado por grande parte da torcida palmeirense, que grita o nome do jogador a cada jogo.Pedrinho, cujo histórico de contusões deixa sempre o treinador com um pé atrás, tem entrado como atacante e participou muito bem do segundo tempo das últimas duas partidas. No clássico com o Santos, fez dois gols. Contra o Táchira, não marcou nenhum, mas criou quatro boas chances.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.