Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Pedrinho é considerado uma joia rara dentre os atletas da base

Atacante é um dos poucos de sua geração que consegue se destacar no time do Corinthians

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

06 Maio 2018 | 07h00

Pedrinho deve, enfim, ter a chance de mostrar seu futebol por mais tempo neste domingo. Um dos poucos atletas oriundos da base em que a diretoria acredita, o atacante deve começar o jogo do Corinthians contra o Ceará, às 11h, na Arena. Será a primeira vez que ele inicia uma partida como titular na temporada.

+ Corinthians adota garimpo de garotos para compensar falha da base

+ Para driblar o cansaço, Carille aposta em time misto para encarar o Ceará

O atacante é a grande aposta dos diretores quando o assunto é a base. O jogador de 20 anos já faz parte do time principal desde o ano passado e é visto como uma exceção diante da escassez de qualidade dos atletas de sua geração. Exatamente por isso, a diretoria vetou qualquer possibilidade de emprestá-lo para ganhar experiência, como aconteceu com outros jogadores. Marciel, por exemplo, foi jogar na Ponte Preta. O zagueiro Léo Santos também deve ira para outro time, para amadurecer. 

A visão da comissão técnica é que o atacante pode e precisa crescer no próprio Corinthians, para ter a cada dia mais identificação com o clube.

Fábio Carille é cauteloso com o menino. Para os defensores do garoto, a precaução é maléfica e prejudica seu desempenho. Já o treinador acredita que ele precisa entrar aos poucos e que o fato de não aguentar atuar por 90 minutos é uma mostra de que ainda tem muito para evoluir.

Embora tenha feito alguns jogos e tenha tido pouco protagonismo, Pedrinho já é um dos atletas mais queridos pela torcida e também cobiçado por clubes brasileiros e do exterior. 

No começo do ano, ele recebeu uma proposta tentadora da China e recusou de bate-pronto, pois seu objetivo é ganhar espaço no Corinthians e ser negociado com um time de ponta da Europa. O jogador tem contrato até dezembro de 2020 e a multa contratual é de 50 milhões de euros (R$ 212,3 milhões).

Mais conteúdo sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.