Pedrinho: elogios até de Parreira

Autor de dois belos gols na vitória do Palmeiras sobre o Santos, no domingo, o meia Pedrinho recebeu elogios nesta segunda-feira do técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, admirador de seu futebol. "Além de um jogador de muita habilidade, o Pedrinho é um guerreiro. Ele não se entrega", comentou o técnico, que o convocou ano passado para amistoso do Brasil com o Haiti, em Porto Príncipe."Ele organiza as jogadas, toca bem, tem bom passe e sabe finalizar", prosseguiu Parreira. Na sexta-feira, ele convocará a seleção para dois compromissos do Brasil nas eliminatórias do Mundial de 2006, contra Peru e Uruguai. Pedrinho não estará na lista. Mas é um nome ainda cotado para a Copa do Mundo. "É uma pena que ele não tenha tido continuidade em sua carreira, por causa das contusões graves. Mas a cada recuperação dele, a gente fica feliz e torcendo para que nada de ruim aconteça de novo." Pedrinho já foi submetido a três cirurgias. As duas primeiras referentes à ruptura do ligamento cruzado no joelho direito, problema que o acometeu em 1998 e 1999. A outra em decorrência de uma contusão no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, em 2001. Para o ex-médico do Vasco Fernando Mattar, Pedrinho tem condições de atuar normalmente. Ele considerou como "fatalidade" as graves lesões no joelho direito, que impediram o craque de atuar por mais de um ano.Mattar integrou a equipe que operou o atleta nas duas lesões iniciais.A volta de Pedrinho no clássico de domingo ocorreu depois de três meses sem jogar, em razão de novo problema no joelho esquerdo.Ultimamente, ficou mais restrito à sala de fisioterapia ou de musculação do clube, evitando exposição. Nesta segunda-feira, o jogador do Palmeiras esteve no Rio, a fim de ver pela segunda vez seu filho Enzo, que nasceu na semana passada e para quem ofereceu um dos gols que marcou no clássico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.