Pedrinho está liberado para acertar com o Santos

O jogador diferenciado que o Santos tanto procurava já está no Centro de Treinamentos Rei Pelé, quase pronto para estrear. É o meio-campo Pedrinho, recuperado pelo fisioterapeuta Nilton Petrone (Filé) de um desequilíbrio na cintura pélvica, das seguidas contusões e das dores que por pouco não encerraram prematuramente a sua carreira. "Tenho apenas 29 anos e me sinto como se estivesse iniciando", disse o meia, nesta segunda-feira, durante a inauguração do CEPRAF - Centro de Excelência em Prevenção e Recuperação de Atletas de Futebol -, no Complexo Modesto Roma. Ele foi o primeiro paciente importante do novo departamento e sua rápida recuperação entusiasma a todos, de Petrone a Luxemburgo. "Não dá mais para segurar. Vou ter que liberar Pedrinho para jogar. Corrigida a instabilidade nos quadris, ele treinou forte durante a semana e não sentiu dores", disse, Filé. "Tenho certeza de que Pedrinho vai ser contratado pelo Santos", afirmou Luxemburgo, sem esconder sua satisfação. "É um jogador de um enorme talento e querido por todos. Vai se recuperar em função do que o Santos oferece a ele e vai retribuir, colocando à disposição do Santos, sua qualidade e técnica." Para convencer os dirigentes do Santos a aceitaram Pedrinho, Luxemburgo teve que sugerir um contrato por produtividade, que até agora não foi detalhado. O meia acredita que seja uma remuneração por jogos disputados, motivada pelos problemas médicos ao longo da carreira (no Fluminense teve um problema no joelho e uma fratura no pé). "O que passou é página virada. Não sinto que fui sacrificado e não acho que tenho que lamentar. Ao contrário: estou feliz por estar recomeçando." Com certeza, Luxemburgo já tem na cabeça como usar Pedrinho, mas por enquanto prefere não antecipar nada. Provavelmente ele será o segundo atacante, com liberdade para avançar com a bola, driblando, para concluir no gol, já que para a armação das jogadas o time está bem servido com Zé Roberto por um lado e Cléber Santana por outro, além do eficiente apoio de Kleber.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.