Alexandre Vidal/ CR Flamengo
Alexandre Vidal/ CR Flamengo

Pedro marca pelo Flamengo e diz ser fácil jogar com Gabigol: 'Ele é inteligente'

Técnico Rogério Ceni lamenta expulsão de Willian Arão e espera por desfecho de negociação de Gerson com o Olympique de Marselha

Redação, Estadão Conteúdo

20 de maio de 2021 | 00h29

Mais uma vez o atacante Pedro confirmou a sua fama de artilheiro ao marcar o primeiro gol do Flamengo no empate por 2 a 2 com o LDU, nesta noite, no Maracanã. Um resultado que, em princípio, não agradou pelo aspecto técnico, porém, foi importante por garantir, de forma antecipada, a vaga do time nas oitavas de finais da Copa Libertadores. Para Pedro, o esforço do grupo foi recompensado no final com o gol marcado por Gustavo Henrique.

"Mesmo com um a menos, nós saímos na frente e poderíamos ter mantido a vantagem no primeiro tempo. O importante foi garantir a vaga, porque isso nos dá tranquilidade para pensar na decisão com o Fluminense, sábado pelo título Carioca."

Outra vez, Pedro jogou ao lado de Gabriel Barbosa, em uma armação com dois centroavantes. Para Pedro, tudo é bastante tranquilo com este esquema armado por Rogério Ceni. "Não tem problema nenhum, porque cada um acha seu espaço. O Gabigol é um jogador muito inteligente, que sabe onde se posicionar e fazer gol."

O técnico Rogério Ceni lamentou o fato do time perder Willian Arão expulso logo no começo do jogo. Por isso, elogiou o esforço dos demais jogadores. "São 80 minutos jogando com um jogador a menos e isso tem que ser valorizado por aquilo que os jogadores fizeram em campo", afirmou o treinador. "Garanto que no 11 contra 11 a gente iria vencer", disse, ressaltando que "o Flamengo é um time que sempre joga para vencer, mesmo com um a menos".

Ceni citou outros jogos em que o Flamengo se superou com um a menos e fez questão de inocentar Willian Arão no lance de sua expulsão ao bater o pé no rosto de Amarilla. "Foi uma jogada normal, sem intenção de machucar. O jogador deles abaixou a cabeça e houve o choque."

300 JOGOS

O que era para ser uma marca festiva se transformou num momento triste. Willian Arão completou 300 jogos com a camisa do clube, porém, só atuou 14 minutos. Ao tentar roubar uma bola de Amarilla levantou o pé bem alto e acertou o rosto do atacante argentino. Foi expulso. De nada adiantaram suas explicações.

"Eu levantei o pé, mas o jogador deles abaixou a cabeça e daí bateu no pé. Não houve intenção nenhuma de cometer a falta", justificou Arão, que é conhecido por ser um jogador técnico e pouco violento.

Desta vez ele entrou como volante, ao contrário dos últimos jogos, quando vinha sendo improvisado no meio da defesa. Mas deu azar, além de deixar seus companheiros na mão. Foi preciso correr muito para buscar o empate que deu a vaga antecipada ao time da Gávea.

CASO GERSON

O que pode ser definido, nesta quinta-feira, é a negociação do volante Gerson para o Olympique de Marselha, da França. Uma nova rodada de reuniões vai acontecer entre os dirigentes dos dois clubes. Existe uma diferença de valores entre as partes. A oferta seria de 25 milhões de euros (cerca de R$ 160 milhões).

A proposta do Olympique era de 25 milhões de euros, mas o Flamengo queria colocar alguns aditivos por metas e ainda manter parte dos direitos econômicos de Gerson em caso de uma futura negociação. Mas se depender do jogador, o negócio não vai sair. Ele tem contrato com o Flamengo até 2023 e nunca escondeu ser torcedor rubro-negro, apesar de ter sido revelado no rival Fluminense. No clube desde 2019, o volante tem mais de 100 partidas pelo rubro-negro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.