Pekerman já é criticado na Argentina

Não demorou muito para o técnico José Pekerman receber suas primeiras críticas no comando da seleção argentina. Os mesmos jornais que o haviam colocado no céu depois da vitória de sábado por 4 a 2 sobre o Uruguai em sua estréia o bombardearam nesta quinta, acusando-o de não ter mostrado ambição no empate sem gols diante do Chile em Santiago. E o curioso é que a imprensa demonstrou saudade de Marcelo Bielsa, o técnico anterior. "Com Bielsa, a seleção teria tentado a vitória até o último minuto", escreveu o Olé. "Mas Pekerman só mexeu na equipe para reforçar o sistema defensivo. Primeiro, tirou um volante (Lucho González) e colocou outro (Mascherano). Depois, tirou seu homem de área (Figueroa) e apostou na estrela de Tevez. E por último, acabou recuando a equipe com a saída de Saviola e a entrada do meia D?Alessandro?.O Olé criticou Pekerman por ter ficado satisfeito com o empate. E elogiou o esquema ofensivo dos tempos de Bielsa. "Com Bielsa, a Argentina jogava no ataque em qualquer campo. E era a única seleção do ano que entrava em campo com três atacantes."O Diario Popular escreveu que Pekerman foi reprovado em seu primeiro exame fora de casa. O Clarín também mostrou preferir Bielsa a Pekerman. "Chamou a atenção a falta de iniciativa do time. No primeiro tempo, houve uma desordem como nunca se viu nos tempos de Bielsa. E no segundo ficou claro que a intenção do time era empatar, algo que jamais ocorreria se o técnico fosse Bielsa."Concacaf - A Guatemala surpreendeu ao garantir vaga no hexagonal final, com a vitória (1 a 0) sobre Honduras na madrugada desta quinta-feira. Estados Unidos e México também estão classificados. Ainda restam três vagas em disputada por Costa Rica, Honduras, Jamaica, Panamá e Trinidad e Tobago. Outros resultados: EUA 6, Panamá 0; Jamaica 0, El Salvador 0; Canadá 1, Costa Rica 3; São Cristóvão 0, São Vicente 3; México 3, Trinidad 0.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2004 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.