Pekerman tranqüilo para o clássico

José Pekerman conhece bem os jogadores que levou para a Copa das Confederações. Por isso, não o preocupa o natural desgaste físico de seus atletas devido ao jogo com o México, um dia depois do confronto Brasil e Alemanha. Na cabeça do treinador e do elenco, isso não existe diante do Brasil - sobretudo numa decisão. "Todos os jogadores querem estar nessa partida. A motivação existe, assim como o respeito pela seleção brasileira", comentou. Pekerman não espera um Brasil apático como foi o do primeiro tempo do último encontro entre as duas seleções, pelas Eliminatórias da Copa de 2006, em que a Argentina "passeou" em campo e ganhou por 3 a 1. "O Brasil certamente tirou lições daquela partida e jogará diferente. Haverá mudanças de colocação. Mas quero dizer que nenhuma partida é igual à outra. Tanto Brasil quanto Argentina são seleções de boas escolas no futebol". Pekerman também fez mistério em relação à formação do seu time. Disse apenas que Riquelme e Ronaldinho Gaúcho são jogadores que podem mudar a história da partida. "São atletas que representam duas equipes que prestigiam o futebol bem jogado. Ambos dão um grande potencial ofensivo aos seus times", concluiu. O treinador festejou a vitória argentina sobre a seleção brasileira no Mundial Sub-20. E já está de olho em alguns jogadores daquela equipe, como Messi, Zabaleta e Cardozo. Eles podem estar em breve no grupo principal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.