Pekerman volta a dizer que não treinará mais a Argentina

O técnico argentino José Pekerman voltou a afirmar, nesta segunda-feira, que seu ciclo na seleção terminou e que compreende a irritação do presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, com sua decisão. "Eu sinto que meu ciclo terminou", afirmou o treinador em entrevista coletiva concedida durante a madrugada, poucas horas depois de chegar a Buenos Aires com a delegação que representou o país na Copa da Alemanha. "Ficamos a dez minutos de cumprir o nosso objetivo. Nós sempre dissemos que jogaríamos sete partidas e não conseguimos. Por isso, sigo pensando que o ciclo está encerrado", ressaltou. Além disso, o técnico reconheceu que foi um erro não ter informado Grondona da decisão de sair antes de se dirigir aos jornalistas, logo após a partida da última sexta-feira, contra a Alemanha. "É compreensível que Grondona esteja zangado", disse Pekerman, antes de agradecer o apoio dos torcedores, que na noite deste domingo lotaram o aeroporto internacional de Buenos Aires para dar as boas-vindas à seleção argentina. Várias pesquisas realizadas pela imprensa local pediram a permanência de Pekerman, enquanto outras informações apontam que o presidente da AFA tentará convencer o técnico a continuar à frente da seleção. "É preciso pensar neste tipo de coisa mais friamente. Talvez essas pesquisas digam outras coisas dentro de 20 dias. Agradeço por todo esse apoio, mas estou entre os que pensam que as decisões tomadas devem ser cumpridas", concluiu o treinador.

Agencia Estado,

03 Julho 2006 | 10h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.