Juan Karita/Reuters
Juan Karita/Reuters

Pelas Eliminatórias, Argentina quebra tabu de 15 anos e volta a vencer em La Paz

Lautaro Martínez e Joaquín Correa marcam na vitória de virada por 2 a 1, nesta terça-feira

Redação, Estadão Conteúdo

13 de outubro de 2020 | 19h14

A Argentina superou os problemas naturais de atuar em La Paz na altitude de 3.640 metros e venceu a Bolívia, por 2 a 1, de virada, nesta terça-feira, em duelo válido pela segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar em 2022. Desde 2005 os argentinos não venciam na cidade boliviana.

Com o resultado, os argentinos, que haviam vencido o Equador, por 1 a 0, na estreia, chegam aos seis pontos ganhos, enquanto os bolivianos, goleados pela seleção brasileira na primeira rodada, seguem sem pontuar.

As duas seleções voltam a jogar como anfitriãs em 12 de novembro. A Argentina recebe o Paraguai, enquanto a Bolívia terá pela frente o Equador.

Como quase sempre acontece em La Paz, a Bolívia iniciou melhor o jogo, ao imprimir um ritmo forte. A Argentina tentou manter a posse de bola e apostou nos chutes de longe para aproveitar a "bola rápida", mais leve por causa do ar rarefeito por causa da altitude.

O atacante Marcelo Moreno foi a referência dos donos da casa e se apresentou bem tanto nas tentativas de fora da área, como no jogo aéreo. E foi de cabeça que o jogador do Cruzeiro abriu o placar, aos 23 minutos, após falha na marcação argentina.

Messi, sumido na primeira parte dos primeiros 45 minutos, começou a aparecer mais no jogo, o que, evidentemente, melhorou a produção argentina. Mas o empate foi em um lance de disposição e força, não de técnica. Lautaro Martinez não desistiu de brigar pela bola e conseguiu travar um chutão do zagueiro Carrasco para conseguir o empate, aos 44 minutos.

No segundo tempo, Messi apareceu mais no jogo e criou boas oportunidades para seus companheiros. Foi dele o início da jogada, após falha da zaga boliviana. A bola chegou em Lautaro, que serviu Correa: 2 a 1.

Daí para frente a maior categoria argentina fez a diferença e o terceiro gol sempre esteve mais perto do que o empate boliviano. Marcelo Moreno chegou a discutir com Messi, após o apito final do árbitro e recebeu cartão amarelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.