Pelé acusa sócio de desviar US$ 10 mi

O ex-jogador Pelé entrou com uma queixa-crime no Ministério Público Federal contra seu sócio Hélio Viana, acusado de ter desviado em torno de US$ 10 milhões da Pelé Sports & Marketing, empresa em que dividem sociedade. De acordo com os advogados contratados por Pelé para fazer uma auditoria na PSM, Viana teria cometido uma série de irregularidades nos últimos anos. O sócio do ex-craque não foi encontrado para defender-se. Segundo o advogado Nélio Machado, Viana cometeu desvios de dinheiro, falsificação de documentos, emitiu duplicatas contra a PSM e em favor de empresas "ligadas diretamente" a ele, além de ter depositado em sua conta pessoal quantias pertencentes à PSM. Essas conclusões só foram possíveis após a análise de documentos da empresa, aos quais tiveram acesso o grupo de auditores contratados por Pelé. De São Paulo, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, Pelé lamentou as constatações. "Não podia esperar nunca que um sócio meu tivesse a coragem de fazer o que fez. Vou até o fim agora, custe o que custar, para saber o resultado de todo esse dinheiro que entrou e saiu de lá", declarou. Em seguida, Pelé disse que não gostaria mais de se ver associado a denúncias de escândalos, por ser o seu nome o seu grande patrimônio. Com relação à acusação de que uma firma do ex-jogador, a Pelé Sports & Marketing Inc, teria recebido US$ 700 mil em 1995 para a realização de um evento beneficente para a seção argentina do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), os auditores descobriram que o dinheiro foi depositado mesmo numa conta da empresa em um paraíso fiscal, à qual somente Helio Viana tinha o poder de movimentar. Eles informaram ainda que valores expressivo foram desviados da PSM para a Klavi Projetos Especiais, empresa que tem Viana como sócio. Isso teria sido feito sem o conhecimento de Pelé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.