William Fernando Martinez/AP
William Fernando Martinez/AP

Pelé defende trabalho de Maradona na seleção argentina

Brasileiro afirma que rival não pode ser culpado pelo fraco futebol apresentado pela Argentina no ano passado

AE, Agencia Estado

16 de janeiro de 2010 | 16h21

Em visita à Bogotá, capital da Colômbia, onde realiza eventos promocionais da Copa Libertadores da América, Pelé defendeu neste sábado o trabalho de Diego Maradona à frente do comando da seleção argentina. O Rei do Futebol declarou que não se pode culpar o ex-jogador pelo mau futebol apresentado pelo time no ano passado.

"Maradona não era um treinador com experiência. É um treinador que começou neste ano e não acredito que ele seja o culpado de tudo. Talvez o culpado seja que o aceitou para ser técnico", afirmou Pelé, em entrevista coletiva para vários jornalistas em Bogotá.

O brasileiro também encontrou outro motivo para a Argentina ter sofrido em 2009, quando se classificou no sufoco para a Copa do Mundo da África do Sul. "Os jogadores que estão muito bem em seus clubes, como é o caso do Messi (Barcelona), não mostram o mesmo nível na seleção".

Mesmo com todos os problemas, Pelé acredita que a Argentina é uma equipe muito forte para a disputa do Mundial, a partir de 11 de junho. "Eles estarão muito fortes. Estarão bem preparados", afirmou o Rei do Futebol, que destacou que outras seleções tradicionais - como Brasil, Espanha e Itália - também são favoritas ao título.

Pelé revelou ainda que a Fifa está muito preocupada com o estado de saúde de Nelson Mandela, ex-presidente e figura mais importante da África do Sul, que já está com 91 anos de idade.

Neste domingo, o ex-jogador brasileiro receberá uma homenagem no estádio El Campín, em Bogotá, onde assistirá ao amistoso entre Millonarios e Independiente Santa Fé, duas equipes da capital colombiana, que se preparam para a temporada de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.