Pelé diz apoiar iniciativa de Ronaldo

O ex-jogador Pelé interrompeu nesta terça-feira um longo período de silêncio e, pela primeira vez, comentou a pretensão de Ronaldo, que sugeriu à CBF a recontagem dos gols do ?Rei? na seleção. Demonstrando boa vontade, Pelé disse estar torcendo para que seu recorde de 95 gols (contra 48 de Ronaldo) na equipe nacional seja quebrado. "Se for pelo Brasil, que ele dobre o meu número de gols", disse Pelé, em Salvador. "Tomara, Deus ajude que ele dobre", acrescentou.Pelé garante não estar magoado com a iniciativa do atacante do Real Madrid. "Pelo contrário: foi bom pois o brasileiro tem a memória curta e já tinha esquecido os gols que eu tinha feito na Seleção e agora o Ronaldinho lembrou". O ?Atleta do Século? contou que estava na Europa quando Ronaldo revelou a intenção de pedir a recontagem dos gols. "Eu achei uma coisa bonita pois ele disse que pretendia alcançar o ídolo dele, o Pelé". Ele garante não haver motivos para a polêmica, como a suscitada na imprensa brasileira. "Qualquer pessoa tem que pensar para cima, grande, e isso é uma honra para mim", repetiu.BRASILEIRO - Pelé fez uma defesa enfática da atual forma de disputa do Campeonato Brasileiro - que pela primeira vez usa o sistema de pontos corridos. "Não fazendo dessa maneira iríamos na contramão pois o mundo todo faz assim. Está provado que é o sistema ideal", disse. Para Pelé, o torcedor está deixando de ir aos estádios por conta da desorganização do futebol brasileiro e não pelo sistema de disputa do campeonato. "A queda na média de público não tem nada a ver com a fórmula de disputa e sim com falta de organização".O ex-jogador comentou também sobre a grande quantidade de técnicos demitidos no Brasileiro. "Na época em que eu estive no ministério (dos Esportes) pedi para fazer aprovar uma lei que proibisse o técnico a dirigir uma equipe diferente à que ele estava dirigindo no inicio do campeonato, como ocorre com os jogadores". Para ele, não é justo que um técnico treine uma equipe, que a conheça bem, e depois vá dirigir um time adversário. "Isso é uma falta de inteligência muito grande da administração do futebol".Pelé esteve em Salvador como garoto propagando do Laboratório Pfizer num congresso nacional de cardiologia. Há dois anos e meio ele faz propaganda para os remédios que tratam da impotência sexual e acha que está conseguindo mudar a mentalidade dos homens em relação ao assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.