André Lessa/AE
André Lessa/AE

Pelé diz que Neymar precisa jogar menos para a TV

Ex-craque afirma que jovem atacante precisa se portar melhor. E elogia Mano por tirá-lo da seleção

Bruno Deiro

16 de outubro de 2010 | 10h32

Um dos principais defensores do futebol de Neymar, Pelé fez ontem suas primeiras críticas mais duras ao comportamento recente da revelação santista. Revelou que deu bronca no camisa 11 e mostrou total apoio ao castigo aplicado por Mano Menezes, que não incluiu o garoto na última convocação. "Ele fez muito bem não levando o Neymar, como represália. Até liguei para ele (Mano) e deixei recado."

 

Para o Rei do futebol, a punição foi boa para Neymar e está surtindo efeito. "Há seis meses, ele estava jogando mais para a televisão e para a torcida do que para o time. Só fazia firula e reclamava da arbitragem."

 

Pelé ficou ao lado de Dorival Júnior no episódio de indisciplina que envolveu Neymar e causou a demissão do técnico. "O que fizeram com o Dorival foi injustiça, ele estava agindo de acordo com o que a diretoria pediu. O Neymar é que precisa mudar."

 

Acostumado a derramar-se em elogios, Pelé decidiu parar de passar a mão na cabeça do jovem santista. "As pessoas falam que ele é menino, que não tem maturidade, mas não é assim. Eu tinha 17 anos quando fui para seleção, o Coutinho tinha 16", disse.

 

O Rei afirma que foi ao Santos para convencer Neymar a recusar a proposta do Chelsea e seguir na Vila. "Conversei com o Neymar e disse o que sempre falo: que o dom de jogar é um dom dado por Deus, não precisamos fazer nada. Mas temos de cuidar do resto, e o importante é dar o exemplo. Ao empresário, às vezes, só interessa o dinheiro."

 

Pelé criticou a postura da diretoria santista em relação a Neymar e alfinetou os dirigentes. "Só sou chamado no Santos quando muda a diretoria ou quando o time está mal."

 

Defesa a Dunga. Durante o evento de lançamento do Programa Esportivo Lúdico Escolar, ontem, em São Paulo, Pelé não perdeu a chance de cutucar um de seus alvos preferidos: Maradona. "Realmente não é um modelo que a gente pretende para os jovens. Depois de tudo o que ocorreu, com drogas, ainda tem gente querendo dar emprego a ele. Não se pode tê-lo como um exemplo positivo."

 

O eterno ídolo santista ainda defendeu Dunga das críticas após o fracasso na Copa. "O Dunga fez a limpeza disciplinar, de caráter, ganhou tudo em três anos e foi criticado porque o Brasil perdeu a Copa. Que culpa ele tem se o melhor goleiro do mundo falha e outro perde a cabeça e é expulso?"

 

A uma semana de completar 70 anos (registrado em 21 de outubro, ele comemora no dia 23), Pelé assegurou que não mudaria em nada sua trajetória, mas revelou que ainda tem um sonho. "O Santos ainda é um grande nome mundial e não tem estádio próprio. Gostaria de ver o Santos levantar seu estádio antes de eu morrer."

Tudo o que sabemos sobre:
peleneymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.