Pelé e Viana são absolvidos no Rio

O atleta do século, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, e seu ex-sócio na Pelé Sports e Marketing, o empresário Hélio Viana, foram absolvidos dos processos em que se acusavam no IV Juizado Especial Criminal, no Tribunal de Justiça do Rio. Pelé dizia ter sido difamado por causa de uma insinuação de que teria usado dinheiro de um show do Unicef para o Santos comprar um jogador. Viana alegava que sua honra fora atacada numa entrevista concedida pelo ex-atleta.O juiz Cairo Ítalo França David julgou improcedente as acusações de ambas as partes. Ele frisou que em momento algum da entrevista, o nome de Hélio Viana fora citado por Pelé, sendo impossível determinar que as declarações se referiam ao empresário. "Na ocasião, Pelé disse "não, não tenho desculpa por ter sido enganado por 20 anos. Lugar de bandido é na cadeia."Do outro lado, o juiz considerou que Hélio Viana não teve intenção de difamar Pelé quando disse "vocês imaginam que ele assinou um contrato, depois voltou a assiná-lo e levou seis anos para perguntar onde estão os US$ 700 mil?". Para Cairo Ítalo, ambos os textos são confusos, ficando impossível determinar quem ofendeu e quem praticou a "retorsão" (vingança).O juiz contou que assistiu às fitas contidas nos autos diversas vezes e constatou uma conotação mais forte na opinião dos apresentadores do telejornal do que na fala de Pelé ou de Viana. Ele ressaltou ainda que o rompimento da sociedade foi traumática, fato que gerou ressentimentos. Cairo Ítalo classificou a notícia do desfalque na Unicef como inexata e lembrou que Pelé é uma figura conhecida no mundo, sendo sempre uma pessoa correta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.