Anindito Mukherjee/Reuters
Anindito Mukherjee/Reuters

Pelé homenageia o primeiro ídolo Zizinho, que completaria 100 anos: 'Foi incrível'

Considerado um dos melhores jogadores da história do Brasil na época, Mestre Ziza foi ídolo de Flamengo, Bangu e São Paulo

Redação, Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2021 | 22h51

Nesta quarta-feira, um dia depois de deixar a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Pelé conseguiu usar as redes sociais para homenagear Zizinho, que completaria 100 anos na última terça-feira. O Rei do Futebol sempre admitiu que o "Mestre Ziza" foi o seu “primeiro ídolo” no futebol. 

“Meu primeiro ídolo fez aniversário de 100 anos ontem. Como ainda estava me acomodando no meu quarto, não consegui homenagear Zizinho no dia. Mestre Ziza foi incrível e por ele guardo um profundo sentimento de gratidão. A memória do esporte deve ser sempre preservada e muito respeitada, pois a vida é um ciclo. Existem jogadores mágicos hoje, que servirão de inspiração para que surjam novos craques no futuro. E isso é o que faz o futebol ser eterno. Feliz 100 anos, Zizinho”, publicou Pelé, no Instagram.

A postagem em homenagem ao centenário de nascimento de Zizinho foi feita com um dia de atraso porque, até terça, Pelé estava internado em um quarto de UTI no hospital Albert Einstein. Hoje, recuperado de uma cirurgia de retirada de um tumor, o Rei encontra-se em um quarto do hospital. 

Zizinho

Zizinho fez história no futebol brasileiro atuando por Flamengo, Bangu e São Paulo, onde foi ídolo pelos três clubes. Pela Seleção Brasileira, o jogador, que atuava pela meia-direita, esteve presente na histórica derrota para o Uruguai, no Maracanã, na final do mundial de 1950, torneio em Zizinho foi considerado o melhor jogador da competição. 

Jogando nas décadas de 40 e 50, Zizinho foi considerado um dos melhores jogadores do Brasil na época, acumulando títulos pela Seleção Brasileira e pelos clubes por onde jogou. 

Começou a carreira substituindo Leônidas da Silva, então no Flamengo, durante um treinamento. Se destacou e permaneceu no clube, onde ajudou o rubronegro a conquistar o tricampeonato carioca (1942 - 1944). No Flamengo, marcou 145 gols, é está entre um dos maiores artilheiros da história do clube.

No Bangu, onde chegou após o Mundial de 50, Zizinho jogou por sete anos e marcou 122 gols. Se tornou o quinto maior artilheiro da história do clube. Sua passagem é tratada como determinante para a mudança de status do time no cenário do futebol carioca.

Depois de atuar pelo Bangu, Zizinho foi emprestado para o São Paulo, onde também se tornou ídolo. O meia-direita ajudou o tricolor paulista na conquista do estadual de 1957, quando despontava um jovem promissor no Santos admirador do futebol do Mestre Ziza. Nos gramados do campeonato paulista, foi Pelé e o ídolo chegaram a se enfrentar.

Antes de se aposentar, Zizinho chegou a jogar por Uberaba e Audax. Na condição de ex-jogador, chegou a treinar a Seleção Brasileira e a conquistar a medalha de ouros nos Jogos Pan-Americanos de 1975. Zizinho faleceu em 2002 no dia 8 de fevereiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.