Pelé pode apoiar Sócrates na CBF

Após reconciliar-se com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, em Brasília, posando para inúmeras fotos ao lado do dirigente que comanda o esporte no País, Pelé disse, hoje à tarde, em Ribeirão Preto, que poderá apoiar a candidatura do ex-jogador Sócrates a presidente da entidade. "O Sócrates foi um dos primeiros a defender a democracia no futebol", comentou o Rei do Futebol, acrescentando, no entanto, que a classe é desunida no Brasil. Ele também afirmou que a greve dos jogadores argentinos, iniciada nesta semana, é um exemplo de estruturação. Pelé esteve na 8a Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia em Ação), onde comprou um trator para seu sítio, em Juquiá (SP), e defendeu a organização no futebol brasileiro e a lei do passe. "É importante o jogador ter liberdade, mas quem falou nisso, quem defendeu isso publicamente?", indagou Pelé. Ele citou que a Argentina é um país menor e mais estruturado e que a greve deve ser encarada com exemplo. "Os jogadores não sabem a força que eles têm." Apesar de comentar que apoiaria Sócrates, que pretende substituir o atual presidente da CBF, o ex-jogador garantiu que acredita no pacto firmado com Teixeira recentemente, para reformular o calendário do futebol brasileiro. "Passado é passado e nos unimos para resolver isso, mas falei várias vezes, com o Teixeira e com o Fábio Koff, que se não cumprirem o que prometeram, estou fora", avisou Pelé, que espera, para o próximo ano, uma solução mais racional para o esporte no País. "Subiu de 24 para 28 clubes no Campeonato Brasileiro, neste ano, mas é um período de transição; mas temos que brigar por uma proposta no próximo ano." O ex-jogador, no entanto, descartou qualquer possibilidade dele próprio ser candidato da entidade. "É só falar em eleição que lembram do meu nome, fico feliz e honrado por isso, pela credibilidade do Pelé, mas não quero ser presidente da CBF." Ele pretende ajudar de outra maneira, não como dirigente. Pelé disse ainda que acredita na classificação do Brasil para a Copa do Mundo do Japão e da Coréia do Sul, em 2002, apesar das dificuldades atuais encontradas na fase eliminatória. E voltou a defendeu o elenco jovem que disputou o último Pré-Olímpico. "Se tivessem mantido, já teríamos uma equipe montada." A reta decisiva do Campeonato Paulista também foi comentada por Pelé, que apostou nas classificações de Santos e Ponte Preta. "Espero e torço para o Santos, pois sofri muito, mas o time classificou-se milagrosamente e, agora que zerou tudo, num torneio curto, tudo pode acontecer", disse ele, acrescentando que seu ex-clube está em ascensão, mas que o melhor time é a Ponte Preta. "Todos que entendem de futebol sabem disso, mas o Botafogo, que foi a grande surpresa da competição, também pode chegar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.