Pelé pode ter usado 3 camisas em 70

Há fortes indícios de que a camisa 10 usada por Pelé na decisão da Copa de 1970, contra a Itália, que deve ser leiloada no dia 27 de março, na Christie?s, na Inglaterra, é verdadeira. As provas que podem atestar a autenticidade da relíquia, que pertence ao zagueiro italiano Roberto Rosato, são as imagens de TV, mostrando que o jogador empurra Tostão e pula sobre Pelé para conseguir a camisa após a partida, e depoimentos de Mário César, filho de Zagallo, então técnico da seleção, e de Marcelo Chirol, filho do preparador-físico do time de 70, Ademildo Chirol. A polêmica começou porque Zagallo afirmou ter ficado com a camisa que Pelé usou no primeiro tempo. Já a utilizada na segunda etapa teria ido para Chirol, que, a como o treinador, presenteou o filho. "A minha é verdadeira e a dúvida está na do Chirol. Minha camisa é diferente da dele. As etiquetas não são iguais", disse Mário César. "Acho que o Pelé usou três camisas naquele dia. Duas no jogo e outra para receber a taça." Marcelo não duvida de que Pelé usou a camisa que ficou com seu pai. "A minha tem autógrafo de todos os jogadores. Não digo que a da Inglaterra seja falsa. Tudo indica que Pelé usou três camisas", disse. "Eu tinha apenas 2 anos e sempre vai ficar um mistério, já que meu pai morreu." Irritação - De Turim, onde mora, Ana Rosato, mulher do jogador italiano, falou com exclusividade para a Agência Estado. "Não aceitamos a história de que a camisa é falsa. Há várias imagens que provam sua autenticidade." Roberto, de 59 anos, havia ido ao Estádio Delle Alpi, assistir ao jogo Juventus x Milan. Ultimamente, Ana fala pelo marido, que retirou um tumor na língua, comprometendo a fala. "Nos sentimos ofendidos ao ouvir que a camisa poderia ser falsa. É a única camisa que meu marido guarda da carreira e nos sentimos orgulhosos dela", irritou-se Ana. "Mentiras não fazem parte do caráter de Roberto." Ela deu a entender que a família teve "necessidade" de se desfazer da camisa. "Reunimos os filhos e decidimos entrar em contato com a casa de leilão." A camisa esteve muito bem guardada por 32 anos e "seria uma honra" se pudesse voltar a pertencer a Pelé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.