Pelé tenta retomar a rotina e viaja

Depois de chorar em público ao saber que seu filho Edinho era consumidor de maconha e estava envolvido até o pescoço com o traficante Naldinho, Pelé resolveu retomar normalmente sua vida de compromissos pelo mundo.Ele está abalado, fala com Edinho quase todos os dias, colocou seu estafe à disposição do filho e prometeu "enfrentar mais esse desafio da vida" sem se omitir. Mas não deixará de seguir suas atividades, agendadas muito antes do ocorrido.Segundo assessores próximos, Pelé embarca neste sábado para os Estados Unidos a fim de se juntar aos filhos que estão lá. A viagem segue o cronograma das férias escolares daquele país. E estava marcada desde o começo do ano. Ele deverá levar sua esposa, Assíria.Mesmo longe, Pelé estará acompanhando os desdobramentos do caso Edinho, preso há mais de dez dias numa das salas do Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc), em São Paulo. Até agora, o que mais o abalou foi saber que seu filho está jurado de morte por traficantes de gangues rivais à de Naldinho, com quem teria negócios.Desde então, Pelé não sai de casa. Recebe os amigos, que procuram não tocar no assunto. Geralmente é ele quem começa a falar de Edinho e dos seus problemas.Depois de visitar a família nos Estados Unidos, Pelé seguirá para a Alemanha a fim de se encontrar com outro mito do futebol mundial, o alemão Franz Beckenbauer - presidente do Comitê Organizador do Mundial de 2006. Ambos estarão na cerimônia de encerramento da Copa das Confederações, com o suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, no dia 29, em Frankfurt.Com o final da Copa das Confederações, Pelé seguiria para outros compromissos também na Europa. Sua volta ao Brasil está prevista para a primeira quinzena de julho. Até lá, ele espera que seus advogados já tenham "melhorado" a vida de Edinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.