Pelé vai participar de comitê organizador para Copa-2014

Ex-rivais, Pelé e o presidenteda Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira,anunciaram na quinta-feira uma reaproximação, com o convitepara o atleta do século ser embaixador da Copa do Mundo de2014. "Vou fazer de tudo para que este projeto dê certo.Interrompi as minhas férias para me dedicar ao projeto", dissePelé a jornalistas na sede da CBF no Rio de Janeiro, ao lado deTeixeira. "Vamos fazer uma Copa do Mundo que servirá de exemplo paraa Fifa e para o mundo... Tenho saúde e muita fé em Deus queposso dar uma grande contribuição para o sucesso do Mundial nonosso país", declarou Pelé, 67, após almoço com Teixeira, quetambém é presidente do comitê organizador, no Rio de Janeiro. O ex-jogador vai viajar pelos países que participarão daCopa do Mundo de 2014 para promover o torneio. Após a ausência do astro no dia em que a Fifa confirmou oBrasil como sede do Mundial de 2014, surgiram dúvidas sobre aparticipação dele no evento. Mas Teixeira disse que "estavacerto" da presença do antigo desafeto no comitê. "Não teria sentido a realização de uma Copa do Mundo noBrasil sem a sua presença (de Pelé), sem que de alguma forma aeste grande evento o seu nome não estivesse associado", disseTeixeira, segundo o site da CBF. Na semana retrasada, durante o lançamento da loteriaTimemania, os dois ensaiaram uma reaproximação depois de anosde divergências públicas. Teixeira ainda não definiu a função que Pelé terá no comitêorganizador. Ele só vai detalhar a participação do ex-jogadorapós viagem que fará à Suíça. Na segunda-feira, o dirigentesegue para Zurique, onde apresentará formalmente à Fifa osnomes de alguns integrantes do comitê, entre eles o de Pelé. "Tenho certeza de que o nome dele será maravilhosamenterecebido tanto pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, quantopelo secretário-geral Jerome Walcke, que gostam muito do Pelé",afirmou o presidente da CBF. Também nesta quinta-feira, Pelé se reuniu com o centenárioarquiteto Oscar Niemeyer, que projetará o museu do ex-jogadorem três prédios históricos em Santos. O empreendimento, que terá forma de bola, é fruto de umaparceria entre a Prefeitura santista e o governo paulista. A Casa Pelé ficará pronta em cerca de três anos e contarácom fotografias de momentos históricos de Pelé, relíquias e umcinema. (Com reportagem de Alice Pereira e Rodrigo Viga Gaier,texto de Tatiana Ramil)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.