Pelé vê difícil volta de Ronaldo e aposta em Copa de 2014

Como garoto-propaganda da Libertadores, Rei do futebol acredita na honestidade da CBF para organizar a Copa

Elzio Barreto, texto de Tatiana Ramil, REUTERS

14 de março de 2008 | 17h44

 Sebastião Moreira/EFEPelé torce por recuperação de Ronaldo, mas não acredita na volta do 'Fenômeno'SÃO PAULO - O atacante Ronaldo não voltará aos bons tempos após passar por mais uma cirurgia no joelho, aos 31 anos, segundo Pelé. Em evento em São Paulo, nesta sexta-feira, o ex-jogador disse ainda acreditar numa Copa do Mundo bem administrada pelo Brasil em 2014. "Depois do que aconteceu [nova lesão], para ele voltar a ser o mesmo Ronaldo, que já estava sendo difícil, não acredito muito não", afirmou Pelé em entrevista coletiva. "Ele pode voltar a jogar futebol porque a medicina é muito avançada, agora vai ser difícil ele tirar peso para voltar a ter o arranque que tinha. Mesmo porque ele já está com idade avançada." Ronaldo foi operado do joelho esquerdo em fevereiro, após se machucar em partida pelo Milan. O atacante já se recuperou de graves lesões no joelho, em 1999 e 2000, para depois se tornar artilheiro do Mundial de 2002. "Na primeira contusão, estivemos na casa dele, fizemos oração. Naquela época ele era jovem, se recuperou e acabou fazendo uma grande Copa do Mundo no Japão", declarou Pelé. Anunciado na semana passada como integrante do comitê organizador da Copa de 2014, no Brasil, Pelé disse acreditar que o país saberá administrar o dinheiro que será gasto com o evento. "Tenho certeza que vai ser uma coisa bem administrada. A CBF [Confederação Brasileira de Futebol] não vai querer que aconteça alguma coisa que desabone o nome dos homens e do Brasil. Tem que colocar gente honesta, direita para administrar", disse o ex-jogador. Pelé se reuniu com o antigo desafeto, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que ainda não detalhou a participação do ex-atleta no comitê. Ele seria uma espécie de "embaixador", viajando pelos países que disputarão a Copa para promover o torneio. "Uma das conversas que tivemos com Ricardo foi justamente isso [administração]. A parte da administração não vai ser comigo, mas vou fazer parte da equipe e é evidente que agora, no fim da minha vida, não vou querer sair com alguma falta com respeito à honestidade", acrescentou Pelé, de 67 anos. Pelé disse ainda que espera o título olímpico da seleção brasileira em Pequim, este ano. "Já está na hora, é o único título que não temos (o da Olimpíada)", afirmou Pelé, acrescentando que um de seus sonhos era disputar um campeonato olímpico, mas que na época dele jogador profissional não podia atuar.

Tudo o que sabemos sobre:
PeléRonaldoCopa de 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.