Reuters
Reuters

Pellè é dispensado da seleção italiana por se recusar a cumprimentar técnico

Fato ocorreu na última quinta-feira, ao ser substituído contra a Espanha

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2016 | 10h31

A insatisfação de Graziano Pellè por ter sido sacado durante o último jogo da Itália custou caro ao jogador. Nesta sexta-feira, o atacante foi dispensado da seleção após se recusar a apertar a mão do técnico Gian Piero Ventura depois de ser substituído.

O incidente ocorreu na última quinta-feira, durante o segundo tempo do empate por 1 a 1 da Itália contra a Espanha, em duelo válido pelo Grupo G das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018 - a equipe ocupa o terceiro lugar, com quatro pontos somados em dois jogos.

Nesta sexta, então, a Federação Italiana de Futebol revelou que Pellè foi dispensado e mandado de volta para a China, onde defende o Shandong Luneng. Assim, ficará fora do duelo do próximo domingo com a Macedônia, fora de casa, pelo torneio classificatório para o Mundial de 2018.

Pellè pediu desculpas pelo incidente em seu perfil na rede social Instagram, descrevendo seu comportamento como "inaceitável". "É justo que eu assuma a responsabilidade pelo que aconteceu", acrescentou o atacante. "Infelizmente, isso aconteceu novamente, eu estraguei tudo", escreveu o jogador de 31 anos.

Antes da dispensa do atacante, Ventura havia minimizado a atitude do atacante. "Pellè estava com raiva, eu acho que isso não foi tanto por causa da substituição, mas pela maneira como tinha jogado até aquele momento", declarou o treinador da seleção italiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.