Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Pelo título, rivais do Cruzeiro dependem de virada histórica

Nos últimos 11 anos, apenas um time conseguiu tirar mais de seis pontos nas últimas dez rodadas do Brasileirão: o Flamengo, em 2009

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2014 | 07h00

O Cruzeiro está em alerta após a segunda derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro. O time mineiro viu a diferença em relação ao segundo colocado cair de nove para seis pontos nas últimas duas rodadas do Campeonato Brasileiro. A dez partidas do término do torneio, porém, apenas uma virada histórica tiraria o bicampeonato da equipe treinada por Marcelo Oliveira.

Desde 2003, quando o sistema de pontos corridos foi implantado no País, apenas em uma edição do Brasileirão um time conseguiu tirar mais de seis pontos nas últimas dez rodadas. A arrancada deu-se em 2009, com o Flamengo. Na ocasião, a equipe carioca, com 42 pontos, saiu da sexta colocação até o título contra o Grêmio, no Maracanã. Durante a campanha, ultrapassou Goiás (45 pontos), Atlético-MG (47), Inter (47), São Paulo (49) e Palmeiras (54). Para isso, somou 25 pontos em 30 disputados - oito vitórias, um empate e uma derrota.

O São Paulo, um ano antes, também protagonizou uma arrancada histórica. O time paulista, no entanto, precisou tirar quatro pontos de diferença em relação ao líder Palmeiras, que somava 53, mesmo número do Grêmio. A equipe tricolor conquistou 26 pontos em dez jogos, com oito vitórias e dois empates. Dessa forma, levantou a taça na última rodada, contra o Goiás, fechando o campeonato com 75 pontos.

Outra grande recuperação ocorreu em 2009. O fato, entretanto, valeu a permanência do Fluminense na Série A do Brasileiro. Último colocado depois de 28 rodadas, com apenas 22 pontos, a equipe do atacante Fred manteve-se invicta nas rodadas derradeiras. Com 24 pontos somados - sete vitórias e três empates -, o time carioca escapou do rebaixamento diante do Coritiba, fora de casa, após igualdade no placar (1 a 1).

VANTAGEM

Nas últimas 11 edições do Campeonato Brasileiro, apenas quatro registraram uma vantagem maior que a atual obtida pelo Cruzeiro. Curiosamente, duas delas estavam ligadas ao time mineiro. No ano passado, eram dez pontos de diferença para o Botafogo ao término da 28.ª rodada (59 pontos contra 49). Em 2003, a vantagem em relação ao Santos chegou a 12 na 36.ª jornada - a dez do fim.

O São Paulo, em 2006 e 2007, também estava folgado na liderança. No primeiro caso, colocou sete pontos sobre o Santos (56 pontos a 49). No ano anterior, o time do técnico Muricy Ramalho teve ainda mais facilidade. Depois de 28 jogos, com 62 pontos, tinha 11 de vantagem sobre o Cruzeiro.

Na edição atual, o sétimo colocado, Santos, está com 42 pontos, 14 a menos do que o líder Cruzeiro. Corinthians e Grêmio têm 46 cada, a dez da liderança. O Atlético-MG, último time do G-4, soma 47. São Paulo e Inter vêm em seguida, com 49 e 50 pontos, respectivamente. No segundo turno do campeonato, o Atlético-MG registra a melhor campanha, com 17 pontos em nove partidas. Inter, Palmeiras, Santos e Vitória têm 16 cada, seguidos de Grêmio (15) e Chapecoense (14). O Cruzeiro somou 13 pontos apenas.

DIFERENÇA DO LÍDER DESDE 2003 (A DEZ RODADAS DO FIM DO CAMPEONATO)

2014

Cruzeiro - 56

Inter - 50

2013

Cruzeiro - 59

Botafogo - 49

2012

Fluminense - 62

Atlético-MG - 56

2011

Corinthians - 51

Vasco - 50

2010

Fluminense - 52

Cruzeiro - 51

2009

Palmeiras - 54

São Paulo - 49

Flamengo - 42 (6.º colocado)

2008

Palmeiras - 53

Grêmio - 53

São Paulo - 49 (4.º colocado)

2007

São Paulo - 62

Cruzeiro - 51

2006

São Paulo - 56

Santos - 49

2005 (RODADA 32)

Corinthians - 64

Internacional - 59

2004 (RODADA 36)

Atlético-PR - 69

Santos - 68

2003 (RODADA 36)

Cruzeiro - 76

Santos - 64

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.