'Pena que foi contra', diz zagueiro do São Bento sobre 'golaço'

'Fui muito infeliz, errei feio e estou triste', conta o jogador

José Maria Tomazela, Estadao Conteudo

16 Fevereiro 2017 | 14h10

O zagueiro João Paulo, do São Bento, de Sorocaba, reconheceu que foi "de placa" o gol que marcou na partida diante do Ituano, na última quarta-feira, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Só que o "golaço" foi contra o próprio gol e resultou na terceira derrota seguida de equipe de Sorocaba na competição. "Fui muito infeliz, errei feio e estou triste. Fui recuar, mas a bola veio forte, peguei embaixo e subiu muito", disse, descrevendo o lance.

O gol foi aos 21 minutos de partida, quando o São Bento dominava o jogo no campo do Ituano, o Estádio Dr. Novelli Junior. O zagueiro recebeu a bola sobre a linha do meio do campo e, ao tentar recuar para o goleiro, deu um chutão para o alto. A bola viajou 54 metros, passou sobre a cabeça de Rodrigo Viana, que estava adiantado, e transpôs a risca do gol. No desespero, o goleiro ainda tentou uma bicicleta e impediu que a bola tocasse as redes, mas não evitou o que acabou sendo um belo gol contra.

João Paulo levou a mão à cabeça, foi confortado até pelos adversários, mas não voltou para o campo após o intervalo, substituído por Gabriel Santos. Após a partida, ele disse que o lance foi infeliz. "Errei e errei feio. Podia ter tocado para o lado, mas quis jogar com o goleiro. Foi um lance infeliz, um erro individual que acabou custando a derrota para o São Bento."

Ao saber que o lance tinha sido considerado um "golaço" pela imprensa, concordou. "Pena que foi contra", disse. O jogador de 31 anos, que veio do Paraná para o clube de Sorocaba, contou que fez alguns gols jogando por outros clubes, mas não se recorda de gols contra. Ele garante que não foi para a "geladeira" por causa do lance. "Como o treinador falou, a troca foi em função de eu ter recebido um cartão amarelo no início do jogo."

Nesta quinta-feira, a comissão técnica decidiu que o zagueiro não falaria com a imprensa, sob o pretexto de poupá-lo. O técnico Paulo Roberto Santos, que após o jogo havia dito que o lance era para "derrubar o presidente, o treinador, a cozinheira e todo mundo", comentou que não pretende expor o jogador e que, agora, a equipe está concentrada na próxima partida. "É esfriar a cabeça e trabalhar para que os erros não se repitam."

Foi a terceira derrota do São Bento no Paulistão. O time estreou perdendo de 1 a 0 para o Corinthians, num pênalti muito contestado por atletas e dirigentes. No segundo jogo, foi derrotado por 2 a 1 pelo São Bernardo. O São Bento volta a campo sábado, em Sorocaba, contra o Botafogo, na tentativa de sair da lanterna do Grupo C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.