Reprodução / Diario Sport
Reprodução / Diario Sport

Pênalti domina manchetes sobre eliminação da Juventus

Jornais da Catalunha e de Madri divergem se a penalidade no último minuto da partida foi bem marcada

ANSA

12 de abril de 2018 | 09h35

A polêmica eliminação da Juventus diante do Real Madrid, na última quarta-feira (11), no Santiago Bernabéu, com um gol de pênalti de Cristiano Ronaldo no fim do jogo, gerou debates e muita repercussão nas imprensas espanhola e italiana. No país ibérico, o conflito por conta do polêmico pênalti marcado para o time da capital da Espanha ficou evidente nas capas dos jornais catalães e de Madri.

+ Cristiano Ronaldo minimiza reclamações e garante pênalti; Marcelo provoca o Barça

+ Buffon lamenta queda da Juventus e ataca juiz: 'Não é um homem, é um animal'

Dois dos principais diários esportivos de Barcelona, "Mundo Deportivo" e "Sport", defenderam a Juventus e afirmaram que a penalidade não existiu. O "Mundo Deportivo" trouxe a manchete "Mestre em arbitragem", além de dizer que o Real Madrid conquistou a vaga "fiel ao seu estilo: com um pênalti muito duvidoso". Já o "Sport" resumiu o episódio como " O roubo do século".    Por sua vez, um dos principais jornais esportivos da capital espanhola, o "Marca", estampou a manchete "Foi pênalti!".

Enquanto os diários espanhóis discutiam a penalidade, grande parte da imprensa italiana adotou um tom de tristeza. Vale ressaltar que a partida foi o evento esportivo mais assistido do ano na península. O jornal "Corriere dello Sport" teve como manchete "Que roubo!" para definir a eliminação da Juventus. Já o "Tuttosport", de Turim, deu enfoque à reclamação dos jogadores da "Velha Senhora" na hora em que o árbitro marcou pênalti, principalmente ao cartão vermelho dado a Buffon.

A "Gazzetta dello Sport" preferiu não entrar em polêmica e trouxe em sua capa a manchete "A raiva e o orgulho", definindo a eliminação da Juventus como "dramática". Já o "Corriere della Sera" parabenizou a grande partida do time alvinegro, afirmando que os comandados de Massimiliano Allegri foram "magistrais". (ANSA)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.