Pavel Golovkin/AP
Pavel Golovkin/AP

'Pênalti não é roleta, temos muita informação', diz goleiro do Chile

Após viver temporada em baixa no Manchester City, Claudio Bravo classifica equipe sul-americana à final na Rússia

Robson Morelli, enviado especial à Rússia, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2017 | 20h58

Herói da classificação chilena à final da Copa das Confederações, o goleiro Claudio Bravo valorizou a grande performance que exigiu na disputa de pênaltis contra Portugal, nesta quarta-feira, em Kazan. Ele garantiu que as três defesas que fez não foram obra do caso, mas resultado de "muita informação".

"Para mim não é uma roleta as cobranças de pênaltis. Temos muita informação hoje em dia. Fizemos uma partida muito inteligente contra o campeão da Europa", comentou o goleiro do Manchester City. "Meus sentimentos são os mesmos de sempre. Estamos numa final muito importante. É um passo importante para o Chile."

O desempenho nas penalidades rendeu elogios do técnico Juan Antonio Pizzi. "Nosso goleiro conseguiu prever o que iria acontecer e o que cada batedor iria fazer em cada cobrança", disse o treinador da seleção chilena. "Você nunca sabe o que vai acontecer, mas podemos nos preparar."

Pizzi valorizou o triunfo chileno num confronto "muito disputado". "A verdade é que o jogo foi muito difícil, muito disputado. Eram duas equipes de primeiríssimo nível. O único jeito que sabemos competir foi como fizemos hoje e nas partidas anteriores: estando no limite."

Para o goleiro Bravo, o segredo do sucesso do Chile nas últimas competições que disputou - é bicampeão da Copa América - é a regularidade. "Nosso segredo é que somos muito constantes. Nunca deixamos de acreditar em nós mesmos e queremos fazer tudo que pudermos para vencer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.