Pênalti polêmico ainda rende reclamações na Portuguesa

Como não poderia deixar de ser, o pênalti polêmico que garantiu a vitória do Grêmio por 3 a 2 sobre a Portuguesa, sábado, pelo Brasileiro, foi o assunto desta segunda-feira no clube paulista. O técnico Guto Ferreira lamentou a atuação do árbitro baiano Jailson Macedo Freitas, que assinalou uma penalidade do lateral-esquerdo Rogério em cima do atacante Kléber.

AE, Agência Estado

09 de setembro de 2013 | 19h13

O treinador afirmou que esta foi a segunda vez que a Portuguesa teve problemas com um juiz filiado pela Bahia, enquanto o time paulista tem no Bahia e no Vitória rivais na luta contra o rebaixamento. "Contra o Coritiba, por exemplo, também com um árbitro baiano, nós tivemos o problema do gol no final e os cartões. É coincidência? Estou perguntando", indagou.

A partida em questão foi o empate entre Coritiba e Portuguesa, por 1 a 1, no dia 14 de agosto. Na oportunidade, os paranaenses arrancaram um empate aos 49 minutos do segundo tempo com um gol impedido do atacante Bill. Arilson Bispo da Anunciação (BA) apitou aquele jogo.

Expulso durante a confusão que sucedeu a marcação do pênalti para o Grêmio, o zagueiro Valdomiro também questionou a atuação de Jailson Macedo Freitas. "Todo mundo viu que não foi pênalti. Errou o juiz e perdemos um ponto precioso", destacou.

O capitão recebeu o cartão vermelho por se desentender com os brigadistas, que tentavam acabar com o tumulto. "Eu estava separando, estava de costas para a Brigada e me agrediram por trás. Virei para me defender. Toda ação gera reação", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPortuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.