Célio Messias/Estadão
Célio Messias/Estadão

Penapolense de Narciso goleia e encerra série do Santos

Time de Penápolis supera o São Paulo e vira líder do Grupo A

Demétrio Vecchioli, Agência Estado

16 de fevereiro de 2014 | 20h29

SÃO PAULO - Acabou neste domingo, pelas mãos do ídolo Narciso, a série invicta do Santos. Sem perder desde 17 de novembro do ano passado, a equipe da Vila Belmiro conheceu seu primeiro revés em 2014 neste domingo, em Penápolis, vítima da Penapolense, que goleou por 4 a 1 pela oitava rodada do Paulistão. Leandro Damião não só passou em branco como cometeu o pênalti que permitiu à equipe da casa abrir o placar aos 9 minutos de jogo.

O resultado é pior para o São Paulo do que para o Santos. Isso porque o Penapolense foi a 15 pontos e passou a equipe tricolor (13) na liderança do Grupo A. Quarta, em Penápolis, recebe a Portuguesa para tentar a quinta vitória seguida. Já o Santos segue líder do Grupo C, com 19 pontos e folga de cinco sobre o São Bernardo, segundo colocado. Quinta o rival é o Atlético Sorocaba, na Vila.

O JOGO

A partida começou com tudo. Logo com 3 minutos, Mena cruzou da direita e três santistas foram para a bola. Geuvânio atrapalhou Cícero e, na pequena área, perdeu ótima chance, mandando no travessão. Cinco minutos depois, Alexandro invadiu a área pela direita e foi calçado por Leandro Damião dentro da área. Pênalti que o rodado Guaru não desperdiçou.

Por mais alguns minutos a partida foi movimentada. Geuvânio quase marcou sem querer, num cruzamento errado, mas Samuel estava esperto e mandou para escanteio. O goleiro trabalhou também muito bem em cabeceio de Gustavo Henrique, praticamente à queima roupa. Do outro lado, Aranha fez lambança. Ao tentar interceptar um contra-ataque, pegou fraco na bola ao invés de dar chutão e, por sorte dele, Douglas Tanque errou o chute com o gol vazio.

Depois dos 23 minutos o jogo caiu muito de qualidade. E seguiu sonolento até os 44, quando o Santos empatou. Geuvânio levantou na área e Cícero cabeceou de peixinho para deixar tudo igual.

Assim como na primeira etapa, o segundo começou bom. E o enredo foi parecido. Com 4 minutos, Alan Santos arriscou de meia distância e Samuel pegou a primeira boa chance santista. Mas, novamente, quem marcou foi o Penapolense. Aos 6, Alexandro tocou para Guaru na área e o meia só rolou para Douglas Tanque, artilheiro da base do Corinthians, mandar para o gol.

Para não perder a invencibilidade, o Santos partiu para o ataque e ameaçou com Alan Santos, novamente de longe. Mas, aos 22, Gustavo Henrique fez falta dura no meio-campo, levou o segundo amarelo e acabou expulso.

Com um a menos, o Santos acabou sendo goleado. Aos 39, Alexandro levantou para Petros, que bateu forte na saída de Aranha. Dois minutos depois, um contra-ataque fulminante acabou com Alexandro indo para as redes. Ainda deu tempo de, no finalzinho, Petros levar o vermelho por bater boca com Arouca.

FICHA TÉCNICA:

PENAPOLENSE 4 X 1 SANTOS

PENAPOLENSE - Samuel; Rodnei, Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Petros, Liel, Guaru (Phil) e Washington; Douglas Tanque (Neto) e Alexandro (Lucas). Técnico - Narciso.

SANTOS - Aranha; Cicinho, Neto, Gustavo Henrique e Mena; Arouca, Alan Santos e Cícero; Geuvânio (Rildo), Thiago Ribeiro (Gabriel) e Leandro Damião (Stéfano Yuri). Técnico - Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Guaru, de pênalti, aos 9, e Cícero, aos 44 minutos do primeiro tempo. Douglas Tanque, aos 6, Petros, aos 39, e Alexandro, aos 41 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - José Claudio Rocha Filho.

CARTÕES AMARELOS - Mena e Alan Santos.

CARTÃO VERMELHO - Gustavo Henrique e Petros.

RENDA - R$ 219.125,00.

PÚBLICO - 6.353 pagantes.

LOCAL - Estádio Tenente Carriço, em Penápolis.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCPaulistãoPenapolense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.