Pensando na Copa do Brasil, Palmeiras poupa titulares

A Copa do Brasil virou a prioridade do momento no Palmeiras. A proximidade do jogo de volta contra o Atlético-PR, na próxima quarta-feira, em Curitiba, fez a comissão técnica palmeirense poupar jogadores e promover cinco trocas no time para a partida deste sábado, diante do Boa Esporte, a partir das 16h20, em Varginha (MG), pela 17ª rodada da Série B.

CIRO CAMPOS, Agência Estado

24 de agosto de 2013 | 07h05

Sem perder há 12 jogos - são 11 vitórias e um empate, incluindo o 1 a 0 que fez sobre o Atlético-PR no duelo pela Copa do Brasil -, o Palmeiras lidera com folga na Série B. Tem quatro pontos de vantagem sobre a segunda colocada Chapecoense (40 a 36), o que lhe dá alguma gordura para queimar agora, quando o técnico Gilson Kleina pensa em poupar titulares.

As mudanças atingem a todos os setores da equipe. O goleiro Fernando Prass, o zagueiro Vilson, o lateral-esquerdo Juninho e o atacante Leandro nem sequer embarcaram com o elenco que viajou sexta-feira de ônibus até o interior de Minas Gerais. O meia paraguaio Mendieta também será poupado, mas vai ficar no banco de reservas. Ainda há uma sexta baixa, mas por motivo de suspensão: o volante Wesley foi expulso na rodada passada, durante a vitória sobre o Paysandu, e dá lugar ao uruguaio Eguren.

O volante uruguaio, aliás, fará seu primeiro jogo como titular do Palmeiras - tem entrado apenas no segundo tempo -, assim como o zagueiro Tiago Alves e o meia Felipe Menezes. Além disso, Bruno ganha nova chance no gol e Fernandinho assume a lateral esquerda. Quem corresponder deve receber mais oportunidades caso o clube tenha de continuar conciliando a agenda entre a Série B e a Copa do Brasil pelo restante da temporada.

"Mexemos na equipe, mas mantemos a mesma estrutura tática para não dificultar a entrada desses jogadores. Não vamos mudar nossa postura de jogo", explicou Gilson Kleina. Com as mudanças, ele pretende poupar quem estava mais desgastado pela sequência de oito jogos no período de 25 dias.

Mesmo com a manutenção do estilo de atuar e do esquema tático 4-4-2, o Palmeiras vai a campo mais cauteloso. Diante de um adversário de boa campanha e que luta para chegar ao G4 da Série B, o time terá marcação reforçada. Durante o treino, o técnico ensaiou até mesmo recuar o volante Eguren como um terceiro zagueiro, para liberar o avanço dos laterais caso seja necessário. "O Boa tem muita movimentação, jogou pela última vez na sexta-feira da semana passada e teve uma semana para descansar. Também temos que pensar em como neutralizá-los", disse o comandante palmeirense.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.